Segunda-Feira, 15 de Julho de 2019, 17h:00

Tamanho do texto A - A+

Membro do Comando Vermelho que decapitou dois homens a mando de facção é preso pela Polícia Civil

Por: LUIS VINICIUS

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prendeu na tarde desta segunda-feira (15), Welligton Ferreira da Silva, 25 anos. Ele é suspeito de integrar a facção criminosa Comando Vermelho (CVMT) e de ter participado de um brutal crime, no qual dois homens foram decapitados, na região do Centro Político Administrativo (CPA) de Cuiabá, em fevereiro de 2018.

welligton ferreira da silva.jpg

 

O criminoso foi preso no Pronto-Socorro de Cuiabá (PSMC), onde recebe tratamento após ter sido baleado. Os trabalhos foram comandados pelo delegado Marcel Gomes de Oliveira, que investiga o caso. O faccionado deverá ser ouvido ainda na unidade hospital pela autoridade policial.

A dupla execução ocorreu no dia 24 de fevereiro de 2018 por represália à morte da jovem Viviane Silva Ângelo, 18 anos, grávida de sete meses, cujo corpo foi encontrado na região da Ponte de Ferro, no dia 18 de fevereiro, em Cuiabá. A jovem foi localizada com um trauma na cabeça e a pele do rosto retirada com o uso de um estilete.

Os crimes teriam ordenados por líderes do Comando Vermelho, que supostamente "autorizaram" Welligton e outros membros da organização criminosa, a arrancar a cabeça de Reinaldo Ribeiro de Barros, 38 anos, e Rubens Eloy da Silva.

Os restos mortais das vítimas foram localizados após 190 dias em um matagal no bairro Osmar Cabral, em Cuiabá. Os cadáveres foram encontrados a poucos metros de onde aconteceu a dupla decapitação.

Os policiais informaram que após os crimes, os bandidos atravessaram um rio e tiveram acesso a região do Osmar Cabral. No local, os agentes encontraram ossos e os dois crânios que foram retirados do corpo das vítimas. Junto aos cadáveres, os policiais encontraram um boletim de ocorrência em nome de Reinaldo, evidenciando que o corpo encontrado seria do mototaxista.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

delegado marcel  gomes de oliveira

 A prisão foi realizada pelo delegado Marcel Gomes de Oliveira

Morte de Viviane

Com a morte de Viviane, membros da maior facção criminosa de Mato Grosso, Comando Vermelho (CVMT) teriam se revoltado e decidiram executar Reinaldo e Rubens, em uma espécie do "Tribunal do Crime".  Os policiais informaram que naquela etapa da investigação do assassinato da grávida, os dois homens eram os principais suspeitos de terem cometido o crime.

Na época, um vídeo que circulou nas redes sociais, chamou atenção da Polícia Civil por conta da crueldade usada no duplo homicídio de Reinaldo e Rubens. Nas imagens, que foram compartilhadas nas redes sociais de WhatsApp, Facebook, membros do Comando Vermelho arrancam a cabeça das duas vítimas. Um criminoso de camisa azul amarrada na cabeça, identificado na filmagem como João, usa um facão para cortar e decapitar as vítimas, que estavam de joelhos e com os braços amarrados.

As cenas, que se assemelham com ataques do Estado Islâmico, foram gravadas na região do Altos da Serra, em Cuiabá. E a todo o momento os envolvidos gritam que fazem parte da facção criminosa. "Aqui é tudo 2, tudo 2", gritam e vibram os executores, fazendo menção à sigla CV.

Após os diversos compartilhamentos do vídeo, policiais da DHPP iniciaram ininterrupta caçada dos corpos. A busca durou mais de seis meses. Conforme informações recebidas pela HiperNotícias, os agentes receberam uma informação de que os restos mortais estariam ainda na região que aconteceu a dupla decapitação de Reinaldo e Rubens.

Reprodu??o - PJC

viviane morta na ponte de ferro

 Viviane da Silva Angêlo

Os ossos serão encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) para exames de identificação, para saber se de fato, os restos mortais são mesmo de Reinaldo e Rubens.

A delegada responsável pela investigação, Alana Cardoso deverá instaurar um inquérito após o encontro dos cadáveres. Além disso, os autores do duplo homicídio também deverão ser procurados.

Suposta participação de Reinaldo

O mototaxista que levou Viviane até a Ponte de Ferro, onde ela encontrou com um rapaz por nome de Rubinho, que é o suspeito de matar a jovem grávida.

O mototaxista, antes de ser morto, aparece amarrado e com o rosto inchado. Ele relata que não matou a jovem e que apenas a levou até a Ponte de Ferro. No caminho, Viviane teria recebido um telefonema e falado com um homem chamado Zulu. "Eu não falei isso antes, com medo. Eu tinha medo de alguém me matar ou matar minha filha", diz o homem no vídeo, antes de ser assassinado.

Conforme investigações da DHPP, o celular desse mototaxista foi encontrado na cena do crime, próximo ao corpo de Viviane. Além do mototaxista, os criminosos do Comando Vermelho também executam o Rubinho. Ele seria o executor da grávida. Ele também tem a cabeça arrancada de forma brutal.

Os vídeos do interrogatório foram feitos pelos criminosos com as vítimas, enquanto elas estavam amarradas. As imagens da execução e da dupla decapitação não serão exibidas. Ainda segundo a polícia, o crime teria acontecido na noite de 24 de fevereiro.

 

Leia mais

 

Passados 190 dias, Polícia Civil encontra restos mortais de homens decapitados pelo Comando Vermelho

Avalie esta matéria: Gostei +10 | Não gostei - 6