Quinta-Feira, 18 de Julho de 2019, 15h:50

Tamanho do texto A - A+

Oposição pede imagens de sessão para recontar votos do projeto de incentivos fiscais

Por: FERNANDA ESCOUTO

Um dos deputados de oposição ao governo do Estado, Lúdio Cabral (PT), afirmou que irá solicitar as imagens da sessão desta quinta-feira (18), que aprovou em primeira votação o Projeto de Lei Complementar 53/2019, que prevê a reinstituição e revogação de incentivos fiscais às empresas no Estado.

Alan Cosme/HiperNoticias

ludio cabral e wison santos

Os deputados Ludio Cabral e Wilson Santos votaram contra o projeto de incentivos fiscais

O deputado afirma que havia apenas 19 parlamentares em plenário, no momento da votação, portanto apenas 12 votos favoráveis e não 15. Para aprovar a proposta, seriam necessários o minimo de 13 votos. 

“Conseguimos sete votos contrários à proposta original, ainda há um questionamento sobre a presença de deputados em plenário. Na nossa avaliação, na contagem que fizemos tinham apenas 19 presentes, isso significa que 7 contrários e 12 favoráveis, o projeto não foi aprovado”, disse.

O petista pontua que pedirá à Casa de Leis, as gravações desta sessão.

“Tendo essa confirmação, vamos à Justiça para tentar anular essa sessão, mas foram 7 votos contra o projeto. Isso significa que o governo terá muita dificuldade na semana que vem para conseguir a aprovação da proposta, porque há muitos setores envolvidos nela”, completou.

Ainda de acordo com Lúdio, a oposição continuará persistindo para que o projeto não seja aprovado, em seu texto original, de forma definitiva, já na próxima terça-feira (23).

A sessão que deu a “vitória” ao governador foi bastante tumultuada. Isso porque os profissionais da Educação, que estão em greve desde o dia 27 de maio, tentaram invadir o Plenário da Casa de Leis, sendo contidos pela Polícia Militar.

“Vamos persistir, procurando obstruir as votações para forçar o governo a negociar com os trabalhadores da Educação e no mérito da proposta, apresentar as emendas, que já temos formulado, para que as injustiças tributárias sejam corrigidas. Os gigantes paguem mais, pois têm condições de pagar, e os pequenos não sejam penalizados”, ressaltou.

Além de Ludio, os deputados que votaram contra ao projeto foram Elizeu Nascimento (DC), Faissal Kalil (PV), João Batista (Pros), Ulysses Moraes (DC), Valdir Barranco (PT) e Wilson Santos (PSDB).

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto