Segunda-Feira, 19 de Agosto de 2019, 15h:46

Tamanho do texto A - A+

Misael dá nota 8 a Emanuel e aponta produtividade histórica da Câmara

Presidente da Câmara também anuncia ida de Secretário de Saúde à Casa de Leis, nessa terça-feira (20), explicar obras paradas nessa área. Galvão evitou polemizar sobre caso "Paletó"

Por: PAULO COELHO

Alan Cosme/HiperNoticias

misael falvao


"O setor da Saúde em Cuiabá passou por uma 'virada de página' na gestão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB)". A opinião é do vereador Misael Galvão, que ainda está no PSB, mas que está de malas prontas para o PTB, em recente visita à sede do HNT/HiperNoticias.

E não para por aí. O parlamentar vê obras e benfeitorias “ em todo canto na cidade”, e isso o  faz dar nota “8”  gestão Pinheiro.

“Eu acredito que Cuiabá está superando, mas a Saúde está na UTI no Brasil inteiro”, observou, enaltecendo que ele, enquanto parlamentar, tem feito indicações para reforma física de unidades de PSFs  [Programas Saúde da Família] em vários bairros como prevenção, "antes que o paciente chegue na alta complexidade, e isso é um salto importante na Saúde”, reforçou ele, acrescentando a retomada, por parte da atual gestão municipal, das obras de construção de duas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), sendo uma localizada no bairro Jardim Leblon e a outra no Verdão“.

Somada a isso, Galvão cita a construção e inauguração do novo Pronto Socorro da Capital (Hospital Municipal), que tem sido entregue em etapas pelo prefeito.

Obras Paradas

Para Misael, a “burocracia”  tem emperrado a sequência de mais de 30 obras na Capital, conforme denuncia a oposição.

“Essas obras não são somente da gestão Emanuel Pinheiro, temos que ser justos. E não só os gestores que fazem parar as obras; o que precisamos acabar é com a burocracia, esse jeito que fazem os processos licitatórios, onde empresas despreparadas pegam essas obras e não conseguem terminar os serviços, o que gera um problema para a gestão pública e, principalmente, para o cidadão. Quantas obras  paradas, muitas vezes com recursos em caixa, que o gestor não consegue executar e isso tem que ser passado à sociedade”, argumentou.

Transporte Coletivo

Misael afirma que a Câmara Municipal tem participado e vai continuar debatendo outro grande gargalo da gestão pública na Capital, que é a licitação do transporte coletivo. “Precisa ser feita a licitação do transporte coletivo em Cuiabá, até porque esse setor precisa passar por uma transformação na Capital. Eu acho que a concessão por 30 anos [como já foi proposto] é muito. Poderia ser por 10 ou 15 anos, renováveis; os ar-condicionados têm que ser colocados em 100% dos ônibus; os pontos de ônibus nos bairros têm que ser feitos nos mesmos moldes [padrão de qualidade] dos das praças Alencastro e Ipiranga”.

Misael entende que o papel do legislativo é fiscalizar e também exigir que “esse olhar de qualidade” chegue também aos terminais do  CPA 1 e CPA 3. “ Se tem 10 pontos de ônibus num bairro, os 10 têm que ter qualidade”, enfatizou.

Reforma Administrativa da Câmara

O presidente do legislativo cuiabano prega que a “Câmara hoje está com uma nova dinâmica” devido aos ajustes que têm sido feitos, até por força da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

“Além disso, implantamos novas dinâmicas de trabalho, que têm como objetivo final, abrir a Câmara, de verdade, ara a sociedade, mudou-se o horário de trabalho, hoje abrimos as 07h00 fechamos às 18h00 para que a qualquer hora que a população quiser ir ao legislativo estará sempre de portas abertas”.

Além disso, o presidente enfatiza que está sendo implantado no âmbito da Câmara o Portal Transparência, além da Ouvidoria que, segundo Galvão, já funciona na Câmara.

“Hoje a população recebe lá na base, na ponta, as audiências públicas para debater nos bairros os problemas de cada comunidade, vendo in loco a situação. Portanto, essa é a nossa prioridade”, destacou, acrescentando que outras atividades que aproximam o legislativo cuiabano à população estão sendo colocadas em prática, com o “Pedal Solidário”, que aconteceu nesse último fim de semana. O presidente informou que no quadro de servidores há hoje 98 efetivos e 381 comissionados.

A produção dos 25 vereadores no primeiro semestre é destacada com ênfase pelo presidente. “Só nesses primeiros seis meses foram 13.448 indicações, por exemplo”, apontou ele, emendando que ainda houve 45 sessões ordinárias; 09 extraordinárias; 25 sessões solenes; 80 leis aprovadas; 524 decretos; 342 requerimentos, entre outras ações que fazem dessa gestão, “a mais produtiva dos últimos dez anos”, na comparação semestral.

Reforma Administrativa do prefeito

Misael se eximiu  de dar palpite na proposta de Reforma Administrativa do Executivo, que ainda não chegou à Casa de Leis, mas avaliou que, no contexto geral, a gestão de Emanuel Pinheiro “é produtiva e positiva” e só pode ser avaliada assim, devido à contribuição da Câmara.

“Há muitas obras, basta andar pela cidade hoje; em cada canto tem uma obra se infraestrutura, asfalto, obra de saúde, então na minha avaliação é muito positiva”, frisou.

Misael acrescenta que, sua gestão também conseguiu estabecer diálogo mais constante e próximo com o secretariado de Pinheiro, já que, semanalmente, sempre um secretário do staff do prefeito vai ao legislativo “prestar conta” aos parlamentares.

“E sso tem funcionado. Se temos alguma demanda pra resolver, o próprio secretário daquela pasta específica, é cobrado a resolver. Na terça-feira agora (20), por exemplo, a presença do secretário [de Saúde] Luiz Possas, que vai falar justamente sobre as obras paradas na área da Saúde, então ele levará todos os técnicos da Secretaria de Obras para dar explicações aos vereadores sobre a retomada dessas obras e quando serão entregues à sociedade”, afirmou Misael, informando que esse foi um requerimento do vereador Kero-Kero (PSL).

Reeleição

O presidente da Câmara admite que deverá apoiar a reeleição de Emanuel Pinheiro, caso esse decida realmente disputar. Misael está migrando, em breve, para o PTB, partido do filho do prefeito, o deputado Federal Emanuelzinho. “Eu não vejo rejeição em apoiá-lo, se ele for candidato”, frisou.

Ao dar nota “8” para a gestão de Emanuel, o presidente da Câmara explica que “temos que ser honestos e justos, pois em cada canto dessa cidade têm obras, e minha  nota é considerando o resultado que chega lá na ponta”.

Paletó

“Essa é uma questão que, principalmente se ele for candidato à reeleição, ele terá a oportunidade de debater isso com a sociedade”, minimizou o presidente da Câmara sobre o vídeo onde Pinheiro aparece embolsando dinheiro, supostamente de propina, na época em que ainda era deputado estadual.

Veja o vídeo da entrevista:

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei







Mais Comentadas