Sábado, 18 de Março de 2017, 14h:00

Tamanho do texto A - A+

Família reconhece corpo de mulher morta no Santa Laura e suspeito continua foragido

Por: JESSICA BACHEGA

As investigações da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP) avançaram e conseguiram identificar a jovem morta com requintes de crueldade no bairro Santa Laura, em Cuiabá, no dia  3 de março. O suspeito continua foragido, porém o caso continua sob cuidados da delegada Juliana Palhares, que ainda pretende ouvir novas pessoas que possam colaborar com o andamento do inquérito.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

delegada juliana chiquito palhares/DHPP

O caso está sendo investigado pela delegada Juliana Palhares da DHPP

A vítima, identificada como Lucinete Maria da Silva, foi identificada por familiares, que ainda confirmaram que o principal suspeito do crime, Marcos Vinicius Liberato da Silva, não era namorado de Lucinete. Segundo os parentes, a jovem não era nem amiga do rapaz e nem comentava sobre ele entre as reuniões da família.

 

Conforme informações da delegada Juliana Palhares, o suspeito continua foragido e não foi confirmado se ele sofre de problemas mantais como um tio do rapaz informou à polícia. O parente do acusado ressaltou que o pai de Marcos sofre de esquizofrênia e ele acredita que o suspeito também seja acometido pela doença, mas não há comprovação pois isso será confirmado apenas através de exames. 

 

De acordo com as investigações, vizinhos da casa onde o crime ocorreu disseram que o volume do som estava ligado no máximo na noite do homicídio. Ainda na manhã posterior ao crime o aparelho ainda estava com som alto quando o tio do suspeito passou na casa para chama-lo para o trabalho. Foi o homem que chamou a polícia após encontrar o cadáver na casa do sobrinho, que já tinha fugido do local.

 

A delegada conta que a mulher foi encontrada com os pés e mãos amarradas, como um animal, e apresentava diversos sinais de espancamento pelo corpo.

 

Rádio Pioneira

HOMICIDIO - IML- TANGARÁ

Corpo de vítima foi encontrado amarrado e com trauma no crânio

A causa da morte da vítima foi traumatismo craniano. Um pedaço de madeira foi encontrado no local do crime e provavelmente foi utilizado para quebrar o crânio da vítima, que não teve chance de defesa.

 

Além de todas as lesões, a mulher também estava com a parte de baixo das roupas abaixadas, no entanto ainda não há comprovação de que ela tenha sofrido violência sexual antes de ser morta. 

 

Conforme a delegada, as investigações ainda não apuraram o que pode ter motivado o suspeito a cometer o crime. O que se tem até o momento é que o acusado e a vítima tinham consumido álcool e entorpecentes na casa. Além disso, ainda há suspeita de que eles tenham mantido relações sexuais, pois formam encontrados preservativos no quarto.

 

 

O corpo da vítima já foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) e enterrado. As investigações continuam  fim de elucidar o crime e capturar o suspeito.

 

Leia também:

Homem usa cabo de enxada para quebrar cabeça de mulher encontrada amarrada e estrangulada

 

 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto