Domingo, 05 de Abril de 2015, 10h:41

Tamanho do texto A - A+

Religiosos falam sobre o verdadeiro significado da Páscoa para os cristãos

Por: RAYANE ALVES

Arquivo Pessoal

Padre Hildo

 

No calendário mundial, este domingo (5) é celebrado o ‘Dia da Páscoa’. Essa data representa o fim da Quaresma no calendário católico e o dia da ressurreição de Jesus Cristo. O HiperNotícias ouviu um padre e um pastor que explicaram sobre o verdadeiro motivo da celebração religiosa. Ambos comentaram semelhanças do significado da Páscoa que significa o fim de um feriado prolongado.

 

No catolicismo conforme o padre, Hildo Rasch, é o momento da passagem da morte para a vida. Entretanto, indiferente de um significado de uma religião para a outra, os fieis têm a Sexta-Feira Santa como o maior símbolo do amor de Deus, como ensina a Bíblia Sagrada.

 

De acordo com o pastor Jean Carlo de Almeida, falar de Páscoa é falar da morte e ressurreição de Jesus Cristo, o filho de Deus. Além disso, é comemorada a passagem do povo judeu (membro da tribo de Judá) da condição de escravo para liberto.

 

“É uma renúncia de sacrificar o pecado, ou seja, procurar fazer aquilo que agrada a Deus. E não o sacrifício de não comer a carne e continuar vivendo em pecado. Isso é um sacrifício tolo, como relata a bíblia”, contou o pastor Jean.

 

Arquivo Pessoal

Pastor Jean

 

Ele acredita que esse período é um momento para refletir a vida junto com a família e pensar em uma forma melhor para mudar os conceitos que as mídias sociais impõem sobre as pessoas. Na avaliação do pastor, o comércio aproveita da ocasião para aumentar as vendas e passar outra simbologia para aqueles que desconhecem o verdadeiro significado.

 

“Estamos perdendo a essência de duas coisas importantes para nós na vida, que é o natal e a páscoa. O comércio lança campanhas para mudar o foco das pessoas, para se encherem de guloseimas. E, na verdade, não é isso, mas sim lembrar que Jesus morreu por nós e sempre devemos ter a esperança de um mundo melhor”, relatou Jean.

 

Para o padre Rasch, a Páscoa católica se diferencia do significado da comemoração dos evangélicos porque, na época em que o povo de Moisés era escravo no Egito, Deus precisou enviar diversas pragas para que o rei passasse a entender os planos de Deus para com eles.

 

“Depois que o povo foi liberto, eles passaram a comemorar essa libertação como o significado da Páscoa. E nesse período, o sangue era tirado de animais. Já depois da morte de Jesus, o sangue foi tirado do cordeiro de Deus para libertação do pecado. E tornou-se imaculado”, contou o padre.  

 

Tradições

As tradições de seguir ou não o que as igrejas doutrinam varia de local para local. No caso do catolicismo, por exemplo, existe uma tendência de não comer carne e comer peixe e canjica na sexta-feira santa e na quarta-feira de cinzas.

 

Mas, para o padre, esse modelo de penitência não é difícil para ele, que gosta de comer peixe. O certo é que as pessoas oficializaram a carne como uma tradição para tentar dominar os desejos na Páscoa ou no período da quaresma.

  

“O ideal é a pessoa fazer uma penitência daquilo que não faz bem e prejudica as outras pessoas. Como, por exemplo, deixar de praticar o mal e passar a usufruir o bem também após os quarenta dias de quaresma. Agora não é certo também que as pessoas fiquem 40 dias na quaresma não fazendo algo e depois extrapolem para descontar os atrasados”, avaliou o padre Rasch.

 

Páscoa

Páscoa é a festividade mais importante para a religião cristã. Páscoa significa passagem e tem origem no termo hebraico Pessach. O "Domingo de Páscoa" celebra a Ressurreição de Jesus Cristo. A data é comemorada após a primeira lua cheia que ocorre no início da primavera, no hemisfério Norte. A data é sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril.

 

Qual o significado?

A Páscoa já era comemorada antes da época de Jesus Cristo. Tratava-se da comemoração do povo judeu por terem sido libertados da escravidão no Egito, que durou cerca de 400 anos. Segundo a Bíblia o próprio Jesus participou de várias celebrações pascoais, quando tinha doze anos foi levado pela primeira vez pelos seus pais José e Maria para comemorar a Páscoa, tendo participado sempre, nos anos seguintes. A mais famosa participação relatada na bíblia foi a "Última Ceia" onde Jesus participou da comunhão do corpo e do sangue, simbolizados pelo pão e pelo vinho.

 

Quais os costumes?

Os Símbolos da Páscoa são representações que fazem parte dos rituais da Semana Santa. A Páscoa é uma festividade importante para os cristãos, refere-se à passagem para novos tempos, novas esperanças.

 

O Peixe

O peixe é um símbolo trazido dos apóstolos, que eram pescadores. É um símbolo de vida, usado pelos primeiros cristãos, no acróstico IXTUS - peixe em grego.  As letras são as iniciais de "Iesus Xristos Theos Huios, Sopter", que significa "Jesus Cristo, Filho de Deus, o Salvador". Faz parte do ritual da Semana Santa comer peixe na Sexta-Feira Santa, para lembrar o ritual dos 40 dias de jejum de carne, seguidos pelos cristãos durante a Quaresma.

 

Ovo de Páscoa

Por representar o nascimento e a vida, presentear com ovos era um costume antigo entre os povos do Mediterrâneo. Durante as festividades para comemorar o início da primavera, a época de plantar, os ovos eram cozidos, pintados e presenteados, para representar a fertilidade e a vida. O costume passou a ser seguido durante as festividades dos cristãos, onde eram pintados com imagens de Jesus e Maria, representando simbolicamente o nascimento. Muitas culturas mantêm até hoje esse costume. O ovo fabricado com chocolate virou uma tradição de presente no Domingo de Páscoa.

 

Coelho de Páscoa

O coelho é um animal que reproduz em grandes ninhadas, representa o nascimento, a vida, e tornou-se símbolo da fertilidade. Está relacionado às festividades da Páscoa por representar a esperança de vida na Ressurreição de Jesus Cristo. Vários povos da antiguidade já consideravam o coelho como símbolo da fertilidade, pois, com a chegada da primavera, eram os primeiros animais a saírem de suas tocas. Com o passar dos tempos, os coelhinhos de chocolate entraram para os costumes das festividades da Semana da Páscoa.  Assim como os ovos de chocolate, os coelhinhos viraram tradição de presente no Domingo de Páscoa.

 

Hugo Dias/HiperNotícias

22º Peixe Santo / Praça Ulisses Guimarães

 

Porque existe uma tradição em comer canjica e peixe e não comer carne?

Jejum e abstinência de carne são práticas que fazem memória da Paixão e Morte de Cristo na Quarta-feira de Cinzas e Sexta-feira Santa! O “não comer carne” pode ser substituído pelos próprios fiéis por outra prática de penitência, caridade ou piedade, particularmente pela participação nesses dias nas cerimônias religiosas. Além disso, o peixe não é carne “quente”, por isso, é alimento próprio para a Quarta-feira de Cinzas e a Sexta-feira Santa.

 

            

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei







Mais Comentadas



ESTÚDIO HIPER
16º FESTIVAL DAS FLORES CUIABÁ 2019

INFORME PUBLICITÁRIO - GOV Conscientização no Trânsito

Prefeitura de VG - Aniversário de Várzea Grande 152 anos