Sábado, 26 de Setembro de 2015, 17h:03

Tamanho do texto A - A+

GCCO investiga roubo de carro de luxo seguido de sequestro de empresário

Por: MAX AGUIAR

A Polícia Civil, através do Grupo de Combate ao Crime Organizado (GCCO), está investigando um crime de roubo seguido de sequestro que vitimou o empresário Douglas Wilson Ramos, 28 anos, ocorrido nesta semana em Cuiabá.

 

Segundo informações do delegado responsável pelo inquérito, Flávio Stringuetta, titular da Divisão Anti-seqüestro do GCCO, o crime é tratado como restrição de liberdade à vítima, porque até agora os bandidos não ligaram para os familiares pedindo qualquer tipo de resgate.

 

Reprodução

empresario sequestrado - Douglas Wilson Ramos

“Por enquanto não houve nenhum tipo de extorsão. Estamos investigando o roubo seguido de sequestro, mas ainda não temos nenhuma pista nem identidade dos bandidos, que agiram com rapidez e levaram o empresário e seu veículo, uma BMW”, explicou o delegado.

 

Douglas Wilson Ramos é proprietário da Tarumã Cimentos, instalada na Avenida Archimedes Pereira Lima, a popular Estrada do Moinho. Na quinta-feira (24), por volta das 09h30, três homens armados com revólveres entraram na loja e anunciaram o assalto.

 

Roubaram carteira e celulares de todos os clientes e funcionários do local e na saída levaram como refém o empresário. Os bandidos chegaram em um veículo Gol de cor branca e, nesse mesmo carro, colocaram Douglas no porta-malas e fugiram.

 

Um dos três assumiu a direção da BMW durante a fuga. Até agora ninguém da família tem notícias do paradeiro de Douglas. Os bandidos também não ligaram pedindo resgate, o que deixa o caso ainda mais complicado, segundo o delegado Stringuetta.

 

“Trabalhamos com todas as hipóteses, inclusive a de morte. Mas, por enquanto, não podemos afirmar nada. Acionamos a PM e a PRF [Polícia Rodoviária Federal] para nos ajudar nesse caso, mas nem o trio e nem o veículo de luxo foi acionado, o que deixa o caso mais criterioso”, completou o delegado.

 

A reportagem tentou entrar em contato com a família de Douglas, mas ninguém da loja e nem parentes quiseram falar do caso. Existe um depoimento de um amigo de Douglas, que afirma que o roubo foi apenas uma estratégia para chegar até o empresário, tendo em vista que ele tinha uma antiga rixa com  o ex-proprietário da loja de cimentos. Todo inquérito está sendo coordenado pelo delegado Flávio Stringuetta.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto








Mais Comentadas