Quinta-Feira, 27 de Outubro de 2016, 10h:43

Tamanho do texto A - A+

Após 20 anos juntos, idosos ganham festa de casamento dentro de UBS

Por: G1

Terno, vestido, decoração, comes e bebes e até marcha nupcial. Foi assim que o casal de aposentados Pedro Sanchez Moreno, de 81 anos, e Alaice, 61, oficializaram a união que já dura 20 anos. Tudo seria um casamento normal se o "sim" não tivesse sido dito dentro de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) em Sorocaba (SP).

 

Felipe Pinheiro/Divulgação

Idosos

 

A história de amor do casal comoveu os funcionários que trabalham no bairro Aparecidinha, que fizeram uma legítima cerimônia de casamento para os idosos. "Não é qualquer mulher que é uma companheira assim", disse Pedro, pouco antes da cerimônia.

 

Assim que chegou à unidade, Alaice logo foi levada a uma sala onde se arrumou com a ajuda das funcionárias. Foi maquiada, perfumada e colocou o vestido. "Eu pedia a Deus por esse momento", declarou, sob expectativa do encontro com o marido.

 

Usando um charmoso terno preto, gravata e um chapéu despojado na cabeça, o marido esperava, ansioso, para ver a eterna namorada pela primeira vez vestida de noiva. A marcha nupcial, enfim, tocou. "Ela está bem mais bonita que eu", disse Pedro enquanto a esposa, aparentemente tímida e com os nervos à flor da pele, carregava o buquê com as mãos trêmulas.

 

Quando se beijaram a emoção e os aplausos foram unânimes na sala montada para a celebração do casamento. "A gente não vê um sem o outro. Eles estão quase que diariamente aqui na unidade e são muito conhecidos na comunidade. Eles mereciam tudo isso", contou a coordenadora Lidiane Schutzes.

 

Juntos há 20 anos

Pedro e Alaice se conheceram há 20 anos na Paróquia Santo Antônio, em Sorocaba. Ela garante que foi amor à primeira vista, o que é confirmado por ele. A aposentada, nascida no Paraná, morava à época na Vila Barão, com o irmão.

 

O agora marido precisou pedir a aprovação do relacionamento. "O irmão dela gostou muito de mim. Então eu logo trouxe ela para morar comigo", contou Pedro.

 

A casa dos recém-casados fica numa área rural em Aparecidinha. Muitos podem até estranhar o tempo de duas décadas para que, finalmente, a união fosse formalizada. Acontece que Pedro ficou viúvo pouco antes de conhecer a atual esposa. Os trâmites necessários para conseguir se casar novamente demoraram. Por outro lado, Alaice perdeu seus documentos e só tirou os novos há cerca de dois meses, no Centro de Referência da Assistência Social (Cras) do bairro.

 

A enfermeira Grasiele Goes, da Estratégia em Saúde da Família (ESF), que atende a área onde o casal vive, revelou que Alaice é das mais ciumentas. "Ela fica enciumada até quando a gente vai examinar ele", brinca. Com a aliança dourada reluzindo no dedo, a aposentada não esconde o rótulo: "Sou ciumenta mesmo. E agora ele é só meu".

 

O sobrinho de Pedro, Cláudio Rabano Sanchez, 69, acompanhou a celebração do casamento na UBS. Nesses 20 anos de união – até então não documentada -, foi uma das principais testemunhas do amor do casal. "Moro do lado da casa deles. É uma alegria vê-los casando, porque era um desejo dos dois. Eles merecem, pois são pessoas simples e humildes", comentou.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto