Sexta-Feira, 08 de Novembro de 2019, 08h:50

Tamanho do texto A - A+

Campanha :'Ninguém sabe onde fica, mas é maravilhoso'

Por: EXTRA

Reprodução

"Ninguém sabe onde fica, mas quando você encontra é maravilhoso", diz uma controvertida campanha privada para promover Vilnius, capital da Lituânia.

Se você ainda não entendeu, a cidade está sendo comparada ao ponto G feminino na peça publicitária a fim de levar mais visitantes à localidade descrita como o "Ponto G da Europa". No cartaz, uma mulher simula um orgasmo deitada em uma cama com lençol que reproduz um mapa com destaque para a Lituânia - agarrada por uma das mãos dela.

A campanha pega carona em uma lista que aponta Vilnius como uma das capitais mais baratas da Europa e a terceira mais em conta para a realização de despedidas de solteiro, de acordo com reportagem da CNN.

A peça publicitária provocou reações bem distintas. Apreciada por grande parte dos jovens, a campanha acabou sendo duramente criticada pela Igreja Católica, a mais forte na ex-república soviética. Para o bispo de Vilnius, a propaganda transforma a cidade de "ponto de turismo sexual". O governo lituano chegou a perdir que o material fosse lançado apenas após a visita do Papa Francisco ao país. O pedido foi ignorado.

Com 600 mil moradores, Vilnius é conhecida pela arquitetura barroca, vista especialmente na Cidade Antiga medieval, tombada como Patrimônio Universal pela Unesco. A cidade, que traz marcas das História, da decadência comunista e da abertura ao Ocidente, tem um clima festivo nas ruas. No verão, escurece depois das 23h e amanhece por volta das 3h.

Se depender da jornalista brasileira Júlia Garcia, que esteve em Vilnius em setembro, a campanha vai fracassar.

"Das capitais dos países bálticos foi a que eu menos gostei. Achei a comida horrivel e não tem nada para fazer. Também é difícil comprar bebida. Adoro um vinhozinho e lá tem leis rígidas com horário de venda. Se você não se programar, não compra. Só fui porque estou numa saga para conhecer 100 países. Não voltaria lá", comentou Júlia. "Acho que os pontos Gs da Europa são Minsk (Belarus), Skopje (Macedônia), Tirana (Albânia), Mostar (Bósnia) e Cavtat Croácia). A elas eu voltaria, com prazer", completou ela.

O ponto G, também conhecido como ponto de Gräfenberg, em referência ao ginecologista alemão Ernst Gräfenberg, o primeiro a identificá-lo, é caracterizado como uma zona erógena da vagina que, quando estimulada, pode levar a elevados níveis de excitação sexual, com intensos orgasmos e até ejaculação

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei







Mais Comentadas