Quarta-Feira, 18 de Setembro de 2019, 08h:00

Tamanho do texto A - A+

Pai e filho que morreram em queda de avião foram lançados da aeronave

Por: KHAYO RIBEIRO

O empresário Jair Demski e seu filho João Demski, que morreram em um acidente aéreo no início da noite desta segunda-feira (16), foram lançados para fora da aeronave a dezenas de metros do local do acidente. As informações foram confirmadas pelo Corpo de Bombeiros Militar do município de Guarantã do Norte (715 km de Cuiabá), local onde o acidente foi registrado.

Reprodução

João Demski e Jair Demski

 Avião caiu a cerca de dois quilômetros da pista

Ao HNT/HiperNotícias, os militares que atenderam ao acidente contaram que Jair Demski foi arremessado a, no mínimo, 10 metros do local onde a aeronave caiu, enquanto João Demski foi encontrado a aproximadamente 25 metros de distância do avião.

Informações apuradas pela reportagem dão conta que os dois retornavam de Sinop (480 km da Capital) com destino a Guarantã do Norte.

Ainda não se sabe o que causou a queda da aeronave. Contudo, as informações iniciais apontam que o piloto errou a pista durante o pouso noturno.

Um laudo produzido pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) deve apontar quais foram as circunstâncias que permearam a queda do avião, com prefixo PP-ZOJ.

Por meio de vídeos, populares registraram o momento em que a aeronave bate contra o solo. Após a queda, A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) esteve no local e encaminhou o corpo das vítimas ao Instituto Médico Legal (IML), onde devem ser realizados os exames de necropsia - que determinam as causas da morte.

O prefeito de Guarantã do Norte, Érico Stevan Gonçalves, decretou luto oficial no município por três dias em decorrência da morte do empresário, que é dono da Jade Engenharia e Estruturas Metálicas.

“Considerando, finalmente, o desejo do município, como representante dos cidadãos, render justas homenagens àqueles que com seu trabalho e sua dedicação, contribuíram para o bem estar da coletividade”, narra trecho do documento.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei