Sexta-Feira, 06 de Novembro de 2015, 19h:21

Tamanho do texto A - A+

Suspeito de mandar torturar e matar empresário é preso após perseguição em Cuiabá

Por: REDAÇÃO

Principal suspeito de ordenar o assassinato do empresário Douglas Wilson Ramos, Nilton Cesar da Silva foi preso pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) no final da tarde desta sexta-feira (6), após uma perseguição policial.

 

Olhar Direto

nilton cesar - empresário

Nilton foi reconhecido enquanto andava de carro. Ele tentou fugir em alta velocidade, mas foi perseguido e chegou a trocar tiros com os policiais. Ao chegar na região da Ponte Nova, que separa Cuiabá de Várzea Grande, o motorista perdeu o controle do carro e caiu em um barranco.

 

Sem o carro, o suspeito ainda tentou fugir a pé, correndo pelo barranco, mas foi detido pelos policiais. Ele foi levado para a sede da GCCO, onde prestará esclarecimentos ao delegado Flávio Stringuetta, responsável pelo caso.

 

O CASO

O empresário Douglas Wilson Ramos, 28 anos, foi sequestrado, no dia 24 de setembro, dentro da própria empresa, localizada na Estrada do Moinho (Arquimedes Pereira Lima), em Cuiabá. 

 

De acordo com as informações da Polícia Civil, a vítima estava trabalhando pela manhã, quando três homens entraram na loja, assaltaram os clientes e funcionários, amarraram o empresário e o colocaram no porta-malas de um veículo Gol. Dois criminosos foram no Gol e o terceiro saiu com o veículo BMW do empresário. O carro até hoje também não foi encontrado.

 

Catorze dias depois do sequestro, o corpo de Douglas foi localizado, às margens da Rodovia MT-010. Ele estava com as mãos e os pés amarrados e apresentava marcas de tiros nas costas, cabeça, nuca e peito.

 

"A marca dos tiros reforça a tese de que houve tortura antes da execução", disse o delegado Flavio Stringuetta, que ainda acredita que os tiros que mataram Douglas foram disparados por Nilton.

 

No decorrer da investigação, o delegado descobriu que o suspeito contratou pessoas para simular o roubo e sequestrar Douglas para que fosse levado até o local e efetuar o crime. No entanto, os três cumplices que fizeram a simulação do assalto ainda continuam foragidos.

 

A suspeita é que o crime seja uma vingança de Nilton contra Douglas, que eram sócios em distribuidora de cimento. Nilton desconfiava que Douglas teria roubado dinheiro dele para construir sua própria empresa, a Tarumã.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto








Mais Comentadas