Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019, 14h:04

Tamanho do texto A - A+

“Eu estou mais que viva”, diz Grampola sobre boatos de sua morte

Por: KHAYO RIBEIRO

“Tudo uma mentira. Eu estou mais que viva”, afirma o servidor público Michel Platini Borges de Arruda, popularmente conhecido como Grampola Platini, após a divulgação de boatos sobre sua morte em grupos de WhatsApp nesta terça-feira (20).

Reprodução

Grampola

 Michel Platini Borges de Arruda, popularmente conhecido como "Grampola"

Por meio de uma imagem distribuída no aplicativo de mensagens, na qual segue escrito “hj vg perder uma das pessoa querida da sua cidade grampola parte mais já deixa sdd um ataque cardíaco fulminante leva nossa amiga [sic]”, diversas pessoas acreditaram que a personalidade de Várzea Grande tivesse morrido.

Contudo, contrariando o teor fúnebre da mensagem, Grampola, popularmente conhecida por seus bordões inusitados em áudios de WhatsApp, afirma que está “vivíssima”.

“Isso me assusta. Eu sei que as pessoas gostam de mim, porque, depois de hoje, eu sei que o número de pessoas que gostam de mim é maior do que as quem não gostam”, pontua.

Poucas horas após tomar conhecimento da mensagem falsa sobre sua morte, o servidor público afirma já ter recebido mais de 50 ligações em seu celular. O elevado número de telefonemas só não supera o de mensagens de apoio no WhatsApp, que, segundo Platini, já passou de 500.

“Recebi muitas mensagens de motivação. Teve gente que me ligou chorando, achando que eu realmente tinha morrido. Uma amiga minha de Campo Grande disse que já ia falar com o irmão para eles virem para o meu velório”, relembra.

O bom humor frente à “fake news”, contudo, esconde o momento de preocupação que o servidor teve com a mãe. Avisada de que as pessoas contariam mentiras sobre a morte do filho, a mãe de “Grampola” precisou falar ao telefone para ter certeza que ele passava bem.

“Eu ainda não cai em mim, não sei quem cria esse tipo de coisa. Recebi mensagem de que estavam dizendo, inclusive, que fui eu mesmo quem criou a imagem para me manter na mídia. Gente, a ‘fama’ não me dá nada não, eu não vivo da mídia”, pontou Platini, que, além de servidor público, também é organizador de eventos.

“O recado que eu dou é que você que fez isso encontre paz e tenha Deus no coração. Eu vou viver mais do que você imagina. As vezes, eu não tenho dimensão do que é a Grampola, mas depois de hoje eu tenho certeza que ela é grande”, finaliza o servidor.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei



Últimas Notícias