Quarta-Feira, 14 de Março de 2018, 14h:17

Tamanho do texto A - A+

SD deve apoiar Rodrigo Maia e dá "carta branca" para o partido em MT

Por: FELIPE LEONEL

O Solidariedade deverá apoiar a candidatura do presidente da Câmara dos Deputados, o deputado fluminense Rodrigo Maia (DEM), ao Governo Federal e deixou a agremiação livre para escolher quem irá apoiar na eleição para Governador do Estado. O partido caminha para a edição de uma aliança com o governador Pedro Taques para reeleição. O governador esteve presente no ato político do partido, realizado no Hotel Fazenda Mato Grosso, nesta terça-feira (14). 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

filiação do solidariedade

 

De acordo com o presidente do Diretório Nacional do partido, deputado federal e sindicalista Paulinho da Força, a Nacional não tem o "costume de intervir" nos Estados, pois quem conhece a realidade são os políticos da região. A aproximação da sigla com o DEM de Rodrigo Maia se deve a articulação feita por Paulinho, que acredita no poder de Maia para "aglutinar" segmentos de centro e esquerda. Os partidos que podem formar o arco reúnem 47% do tempo de televisão. 

 

"Eu faço parte dessa coordenação. É um grupo de partidos que representa 40% das forças do Congresso Nacional para a gente poder fazer um novo governo, com uma sustentação de centro para a esquerda. Nessa nossa tentativa de aglutinar estaria o DEM; PP; PR; PRB; Solidariedade e até o PSB. Acho que essas seriam as forças de sustentação de um novo governo", afirmou Paulinho, durante ato do partido em Cuiabá, nesta terça-feira (14).  

 

Sobre Mato Grosso, segundo Paulinho, a orientação é que os políticos da região resolvam sozinhos. A única exigência é a eleição de pelo menos um deputado federal em cada Estado. O grupo aposta no nome do deputado estadual Dr. Leonardo Albuquerque para disputar a eleição para federal. Além disso, o partido estima ter cerca de 40 candidatos a deputado estadual e pretende eleger pelo menos três. 

 

"Essa coisa de aliança não cabe a mim. Cabe a eles fazerem. Eu tenho uma grande relação com o Pedro Taques desde quando éramos do PDT, ele e eu éramos da direção nacional. Tínhamos uma relação muito próxima. Ele sempre me recebeu com muito carinho e respeito e eu também. Se depender de mim, o partido poderia apoiar ele, agora eu não decido sobre isso", disse o deputado federal. 

 

Para o presidente do diretório estadual do Solidariedade, Zé Carlos do Patio, a agremiação foi a que mais cresceu nos últimos quatro anos e possui mais de 80 vereadores e quatro prefeitos em Mato Grosso. O objetivo é tornar o SD um dos quatro maiores partidos do País. Ele ainda elogiou a atuação do governador em Rondonópolis, pois implantou na cidade UTI Canguru, Pediátrica, Cardiológica e Neo Natal, totalizando 50 UTIs a mais no município. 

 

"Nós temos uma aproximação muito simpática ao trabalho desenvolvido pelo governador Pedro Taques. Mas isso é uma discussão de várias lideranças. No momento exato, nós vamos decidir o rumo do partido. Mas não resta dúvida, é uma pessoa que a gente respeita muito. Em alguns Estados, nem estão conseguindo pagar a folha. Ele está pagando, com dificuldades devido à crise. Devemos ponderar nas criticas, o momento é atípico", finalizou Zé do Pátio. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei