Terça-Feira, 16 de Abril de 2019, 19h:30

Tamanho do texto A - A+

Vereador rebate secretário: "População não aguenta mais andar em carroças, com tarifa cara"

Antenor Figueiredo condicionou lançamento de edital do transporte coletivo, ao reajuste no preço da passagem. "É a tarifa que sustenta o sistema",

Por: PAULO COELHO

A prefeitura de Cuiabá só vai  lançar o novo edital do transporte coletivo, se houver  “uma tarifa que sustente o sistema”, ou seja, se houver reajuste no preço da passagem de ônibus na Capital.

Essa foi a explicação do secretário de transporte do município, Antenor Figueiredo, que foi hoje à Câmara, dar explicações sobre a demora  no processo licitatório.

“O que sustenta o sistema hoje é a tarifa”, apontou Figueiredo,  ao  programa SBT Comunidade, TV Rondon (Canal 5), depois da reunião com os parlamentares. “Assim que sair a decisão da tarifa, nós vamos colocar  o edital, para que se faça essa licitação”, emendou, condicionando a um estudo que estaria sendo feito pela Arsec (Agência de Regulação de Serviços Delegados de Cuiabá), o que está previsto, segundo ele, para a semana que vem.

O secretário explicou que o estudos da prefeitura já estavam prontos e haviam sido feitos com base em R$ 4,10, anterior ao praticado atualmente na Capital, que é de R$ 3,85, redução determinada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), após provocação dos vereadores de oposição que apontaram fraude no cálculo que elevou a passagem para o valor antigo.

“Nosso ponto de partido será quanto vai ser essa tarifa”, reforçou Antenor, salientando que foi determinação do TCE, que faça o recálculo.

Alan Cosme/HiperNoticias

dilemario alencer

 Vereador Dilemário Alencar: "Coversa pra boi dormir"

Toda a explanação de Antenor Figueiredo nesta terça, na Câmara,  foi “conversa pra boi dormir”, segundo o vereador Dilemário Alencar (PROS), autor da convocação que, depois, após manobra da base aliada do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), virou convite.

”Dizer que transporte coletivo não dá lucro é mentira. O cidadão quando vai colocar crédito no cartão, paga adiantado e temos a tarifa que é uma das mais caras das capitais brasileiras”, criticou o vereador.

Há mais de 30 anos o transporte público coletivo é explorado por empresas privadas na Capital. Atualmente operam na cidade Pantanal Transportes, Expressso Norte Sul e Nova Integração.

“Se não dá lucro, então por quê que essas três empresas querem continuar, se não está dando lucro?”, indaga Dilemário, emendando que a população não aguenta andar em carroça e pagando tarifa cara”.

O parlamentar  reforçou ao HiperNotícias que a redução de R$ 4,10 para R$ 3,85 no preço da passagem, não inviabiliza, de modo algum, o lançamento do edital.

Antes, quando o valor havia chegado a R$ 4,10, conforme explicação do vereador, foi porque a prefeitura  ignorou lei aprovada pela Câmara, desonerando as empresas de transporte coletivo, quanto ao ICMS sobre o combustível, o que teria sido ignorado no momento em que foi feito o cálculo que chegou a R$ 4,10. O TCE, atendendo reclamação dos parlamentares, mandou reduzir o preço.

Dilemário Alencar cita também decisão da Justiça que estipulou para o início de junho, para que a prefeitura faça o lançamento do edital.

“Desconfio que tem caroço nesse angu. Tiveram todo tempo para fazer essa licitação. Houve decisão e mesmo assim eles não publicaram. Essa demora a gente vê que , ao deixar para lançar em cima da hora, a prefeitura pode facilitar a vida das atuais empresas ou, de repente, aparecer com alguma  justificativa e prorrogar os atuais contratos novamente,  o que vai também ajudar as atuais empresas”, concluiu o parlamentar, dizendo que manter as atuais empresas prestando serviços aos usuários cuiabanos seria o mesmo que “trocar seis por meia dúzia”.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei - 2







Mais Comentadas



ESTÚDIO HIPER
16º FESTIVAL DAS FLORES CUIABÁ 2019

INFORME PUBLICITÁRIO - GOV Conscientização no Trânsito

Prefeitura de VG - Aniversário de Várzea Grande 152 anos