Quarta-Feira, 05 de Abril de 2017, 07h:30

Tamanho do texto A - A+

“O cidadão comete crime a vida inteira, de repente vira santo e conta tudo”, diz Taques sobre Riva

Por: GLAUCIA COLOGNESI

O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou, nesta terça-feira (4 de abril), que não acredita nas denúncias feitas pelo ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Geraldo Riva (sem partido), sobre pagamento de mensalinho a 33 ex-colegas deputados para aprovarem projetos de interesse de governos passados. Taques afirmou que Riva usou o seu depoimento como instrumento de chantagem e vingança contra desafetos.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

pedro taques

Governador criticou o depoimento de Riva: "não pode virar santo"

O governador trata o depoimento que Riva fez à juíza Selma Arruda da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, na última sexta-feira (31 de março), como delação. “Eu quero aqui ressaltar a importância da delação premiada como instrumento de persecução penal. No entanto, no Brasil a delação está virando instrumento de chantagem política, algumas até de comércio”, afirmou Taques, nos bastidores do lançamento de nova agência do Detran próxima à ponte do Rio Coxipó.

 

Taques reforçou o seu inteiro descrédito às declarações de Riva sobre crimes que ocorreram na Assembleia durante os 22 anos em que o ex-deputado participou da Mesa Diretora da instituição. “A delação eu não sei, é muito fácil né, o cidadão comete crime a vida toda e de repente vira santo e faz delação”, frisou. “Eu não acredito no que eu não vejo!”, reforçou.

 

Pedro Taques afirmou, inclusive, que endossaria e nomearia para conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) qualquer um dos três deputados estaduais, Zé Domingos Fraga (PSD), Guilherme Maluf (PSDB) ou Sebastião Rezende (PSC), que concorreram a vaga, mas que são acusados por Riva de terem recebido propina em troca de votos a projetos do Executivo, na gestão de Blairo Maggi. Ele garantiu que não desrespeitaria decisão da Assembleia Legislativa, instituição que tem a prerrogativa de indicar o próximo membro da corte de Contas. 

 

“Eu não vou jantar antes de almoçar, eu não vou desrespeitar a Assembleia Legislativa, eu não sei nem se já tem a vaga no TCE. Diz que tem conselheiro que vai se aposentar, quando tiver a vaga a AL indica e o Governo objetivamente, conforme diz a Constituição, assina o decreto ou não”, afirmou.

 

 

Questionado se as acusações feitas por Riva contra os deputados não pesam nesta decisão de nomeação do próximo conselheiro e se com a declaração anterior, ele sinaliza que lava as mãos em relação aos escândalos do Parlamento, Taques desconversou. “Não sou Ponce Pilatos para lavra as mãos senhores, a não ser quando a mão está suja e minhas mãos não estão sujas”, disse.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto




4 Comentários

Cuiabano - 05/04/2017

Não e porque foi procurador dá república que não vai pra CADEIA. Vai!

Teka Almeida - 05/04/2017

Para de falar... hoje é dia 05/04 e até agora o meu salário de aposentada não está na conta. Pois conforme 5ª Reunião Ordinária do Conselho de Previdência do MT Prev, realizada no dia 08/02/2017 ficou decidido que os aposentados começariam a receber no dia 05 de cada mes. Eita governo de ESTAGNAÇÃO

Carlos Nunes - 05/04/2017

Para o Riva a gente só pode pedir uma coisa: CONTE TUDO! SALVE MATO GROSSO! AINDA HÁ TEMPO! Quem vai fazer a limpeza no Brasil serão os delatores premiados. Vão tirar toda a sujeira escondida debaixo do tapete. Muitos lobos em pele de cordeiro serão desmascarados.

joaoderondonopolis - 05/04/2017

Qualquer pessoa a qualquer tempo pode mudar sua vida para melhor ou para pior. Agora, esta decisão do ex-deputado Riva será que preocupa o governador? Porque? Governador o estado está jogado as traças, os médicos do regional de Alta Floresta vão entrar de greve, por falta de pagamentos.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA