Sexta-Feira, 23 de Fevereiro de 2018, 08h:10

Tamanho do texto A - A+

Naco, Gaeco e Defaz começam a colher depoimentos de envolvidos na Operação Bereré

Por: REDAÇÃO

O Ministério Público Estadual (MP) e a Polícia Civil começam hoje (23) a tomar os depoimentos de pessoas intimadas após a deflagração da Operação Bereré. A maior parte das oitivas trata de beneficiários dos repasses feitos pelos sócios da empresa supostamente usada para o recebimento de propina de um contrato do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran/MT).

 

Alan Cosme - HiperNotícias

gaeco

 

As oitivas deverão ser realizadas nesta sexta e também no sábado (24), pelos promotores do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), Núcleo de Ações de Competências Originárias (Naco), além de delegados da Delegacia Especializada contra Crimes Fazendários (Defaz).

 

Os responsáveis pela investigação destacam que nem todos os beneficiários dos repasses serão responsabilizados pelo esquema. Isso porque, eles acreditam que parte dos pagamentos feitos a estas pessoas  pode se tratar de negócios lícitos.

 

Eles chegaram aos nomes com o cruzamento de informações obtidas pela quebra do sigilo bancário de 25 pessoas e empresas, autorizada pela Justiça. Foram identificadas operações bancárias entre os anos de 2009 e 2015 partindo da FDL Serviços, responsável pelo registro de contratos de financiamento de veículos, para uma empresa, supostamente de fachada, que recebia parte dos lucros e, por fim, a mais de uma centena de pessoas.

 

Na última segunda-feira (19), foram cumpridos diversos mandados de busca e apreensão, contra 49 pessoas acusadas de participação no esquema. Os elementos de prova obtidos foram reforçados pelo acordo de colaboração firmado pelo ex-presidente da autarquia, Teodoro Lopes, o Doia.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto