Quarta-Feira, 02 de Outubro de 2019, 11h:04

Tamanho do texto A - A+

Deputados aprovam LDO 2020 e desobrigam Estado a pagar RGA

Por: REDAÇÃO

Por unanimidade, os deputados estaduais de Mato Grosso aprovaram em primeira votação, durante sessão vespertina na terça-feira (1), a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020, que recebeu 113 emendas, mas somente 61 tiveram parecer favorável da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR). Ao invés de déficit, como estava previsto anteriormente, a nova LDO prevê um superávit de R$ 122 milhões.

Fablicio Rodrigues

Assembleia Legislativa de Mato Grosso, ALMT

 

A aprovação, em primeira votação, seguiu o parecer da CCJR, rejeitando todas as emendas que foram votadas em destaque. “Houve alguns destaques, nós respeitamos, colocamos em discussão e votação. Foi aprovado o parecer como veio da comissão. Agora vamos para a segunda votação e é possível ainda inserir emendas desde que tenha mais de oito assinaturas”, disse o deputado Eduardo Botelho (DEM), presidente da Assembleia Legislativa.

Botelho adiantou que espera a liberação, pela Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária, para votar a LDO 2020 em segunda votação na próxima terça-feira (8). “Somente depois de aprovada a LDO é que vamos dar início à tramitação da Lei Orçamentária Anual (LOA)”, disse. Conforme Botelho, a primeira votação foi recheada de debates e discussões.

“O Plenário não aceitou nenhuma emenda que foi colocada em destaque. E agora, para a segunda votação, só pode entrar emenda que tenha pelo menos oito assinaturas. Do contrário, não serão sequer analisadas, serão rejeitadas de pronto”, disse o presidente.

Sobre a questão específica da Revisão Geral Anual (RGA), o presidente do Parlamento argumentou que o Supremo já deliberou sobre a matéria. “Acabou a obrigatoriedade da RGA, mas a situação tem de ser debatida por cada estado, em cima das condições financeiras. Aqui nós estamos trabalhando para garantir condições de pagar num futuro próximo”, adiantou.

As emendas acatadas pela CCJR ao projeto da LDO foram as de número 1, 4, 5, 10, 11, 13, 14, 15, 17, 19, 20, 21, 26, 27, 29, 30, 31, 37, 38, 39, 40, 41, 42, 47, 48, 52, 53, 54, 55, 60, 61, 62, 63, 67, 68, 69, 70, 71, 72, 73, 74, 83, 84, 85, 86, 88, 89, 92, 96, 97, 98, 99, 100, 102, 107, 108, 109, 110, 111, 112 e 113.

As rejeitadas foram as de número 2, 3, 6, 7, 8, 9, 12, 16, 18, 22, 23, 24, 25, 28, 32, 33, 34, 35, 36, 43, 44, 45, 46, 49, 50, 51, 56, 57, 58, 59, 64, 65, 66, 75, 76, 77, 78, 79, 80, 81, 82, 87, 09, 91, 93, 94, 95, 101, 103, 104, 105 e 106.

Durante a sessão, 20 deputados se faziam presentes em plenário. Os ausentes foram Elizeu Nascimento (DC), Delegado Claudinei (PSL), Ulysses Moraes (DC) e Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD), que cumpriam agenda em Brasília.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 3



2 Comentários

Dolores - 04/10/2019

Se não for obrigatório o estado não vai pagar! Voa Pardal!

Pardal - 03/10/2019

Desobriga o estado a pagar , mas não impede de pagar, visto que MT é um estado rico e teve superavit em seu orçamento público. Nada melhor do que ser justo e dar a Cezar o que é de Cezar e dar a Deus o que é de Deus. Quando tira meu RGA está mexendo no meu dizimo, então está mexendo com Deus.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA