Sábado, 18 de Maio de 2019, 08h:00

Tamanho do texto A - A+

Apoiador de Bolsonaro durante a campanha eleitoral, Júlio Campos critica atuação de presidente

A crítica do democrata estende-se também ao escritor Olavo de Carvalho, o guru da família Bolsonaro

Por: FERNANDA ESCOUTO

A gestão Bolsonaro não tem agradado muito a um dos principais líderes dos Democratas. A forte interferência dos filhos do presidente da República no governo e o uso excessivo das redes sociais são as falhas apontadas pelo ex-governador Júlio Campos.

Alan Cosme/HiperNoticias

julio campos

 Ex-governador Júlio Campos

Júlio, que foi um forte apoiador de Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral, acredita que não só os rompantes do presidente deveriam ser controlados nas mídias sociais, mas também os dos seus filhos, Carlos, Eduardo e Flávio.

“O uso incontrolável da mídia social em vez de ajudar, atrapalha o andamento do governo, atrapalha o andamento da votação no Congresso Nacional e causa esses atritos [...] Esses filhos não são fáceis de administrar, causam mais problema do que apoio”, disse.

A crítica do democrata estende-se também ao escritor Olavo de Carvalho, o guru da família Bolsonaro, o qual ele acredita que tenha uma interferência negativa no governo.

“Astrólogo, filósofo, sei lá o que ele é, veio lá dos Estados Unidos, ausente do Brasil há mais de 20 anos querer dar ordem ao povo brasileiro e, principalmente, querer criticar os militares no governo, que são o grande esteio da atual administração”, pontuou Júlio, ressaltando que o irmão, o senador Jayme Campos, também faz a mesma avaliação.

“Em determinada hora o senador Jayme Campos tem razão em querer dar um chega pra lá, um puxão de orelha em certas coisas que o governo acha que deve fazer sem a participação política. Governar é a arte de saber dialogar, é a arte de saber fazer política, não com fisiologismo. Ninguém quer empreguismo, ninguém quer algo de errado, a gente quer ser ouvido, dar palpite e o presidente tem que entender que governar uma nação brasileira tem que ter paciência e diálogo”, finalizou.

Avalie esta matéria: Gostei +4 | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto




1 Comentários

Armindo de Figueiredo Filho - 20/05/2019

CONFORME OS """ DIZERES""" NA MATÉRIA>>>>>>>""Governar é a arte de saber dialogar, é a arte de saber fazer política, não com fisiologismo. Ninguém quer empreguismo, ninguém quer algo de errado, a gente quer ser ouvido, dar palpite e o presidente tem que entender que governar uma nação brasileira tem que ter paciência e diálogo”, finalizou<<<<<<."""MUITO BOM!!!....MUITO LINDO"""Só que....,,,, quando mandatários, não pregavam NADA DISSO....... e tem mais...>>>QUE DEVA CONTINUAR APOIANDO O BOLSONARO (conselho)..., porque é a esperança do povo brasileiro, e que poderá tirar o BRASIL dessa """ LAMA DE CORRUPÇÕES"""" Fim de Papo .....

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA



Últimas Notícias





Mais Comentadas