Domingo, 23 de Abril de 2017, 08h:57

Tamanho do texto A - A+

“A corrupção é igual câncer presente em qualquer sociedade”, afirma presidente do TRE

Por: RAYANE ALVES

“A corrupção é igual ao câncer presente em qualquer sociedade”. Essa foi à afirmação do presidente empossado do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Márcio Vidal ao analisar que uma parte de Mato Grosso está dominada pelo “crime organizado” por causa dos escândalos de corrupção. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

desembargador marcio vidal Presidente Márcio Vidal compara a corrupção ao câncer

De acordo com o presidente, desde 2010 quando ele participou do TRE como desembargador substituto e foi criado um comitê formal para estudar o processo eleitoral do país, ele acabou construindo uma impressão ruim da política. E, infelizmente ao longo dos sete anos corridos desde então, a observação que ele teve de principio foi confirmada.

  

“Diagnosticamos que ainda neste estado alguns se elegem comprando voto. Naquela época eu já dizia que Mato Grosso estava dominado pela corrupção, que na verdade é algo comparado ao câncer que está presente em qualquer sociedade. Só que em alguns casos acabam passando do limite porque os danos se tornam irreversíveis”, disse.

 

Na avaliação de Vidal, uma grande maioria dos eleitores acaba tendo culpa em cartório por causa da corrupção política que ainda reina no Brasil, visto que na hora do voto sério, alguns emitem um parecer diferenciado por apenas R$ 50.

 

“Você não tem como impedir que a pessoa não seja ética ou imoral. No entanto, o número excessivo da forma organizada que muita gente trabalha está nas mídias. É algo assustador que precisa ser revertido. Fora isso, nós também não podemos perder a confiança em todos os cidadãos porque existem pessoas do bem que lutam por uma sociedade melhor”, argumentou.

 

 

Outro ponto bastante criticado pelo novo presidente é o financiamento de campanha que acaba sendo um dos motores que move a corrupção brasileira.

Alan Cosme/HiperNoticias

desembargadores marcio vidal e pedro sakamoto Desembargadores tomaram posse na segunda-feira (17)

“Não podemos atribuir de forma absoluta apenas ao financiamento de campanha, porque uma vez combatido, aqueles que não têm ética sempre vão encontrar mecanismos para continuar burlando a eleição. Faltam a manifestação e organização civil para afirmar que não é mais possível continuar assim”, comentou.

  

Ano difícil

O desembargador também avaliou que assumiu a gestão da Corte em um ano diferenciado diante da situação política que o país enfrenta, considerando a revelação da corrupção e uma possível reforma do sistema político.

  

Mas, já indagado sobre as vésperas de um ano eleitoral Vidal ainda achou prematuro fazer qualquer tipo de previsão.

  

“É cedo ainda prever. Mas, meu plano de ação engloba apenas os 12primeiros meses de mandado tendo ficado para este período a organização de como se dará a época das eleições. Porém, temos tempo suficiente para nos preparar. O que apenas poderia se dizer é que não há dúvida de que, hoje, o Brasil está num processo conturbado. Sem falar na parte econômica. Se formos analisar esse quadro, poderíamos admitir que é um ano difícil para todos nós. É, no mínimo, diferenciado. Até a última eleição, você ouvia um barulho aqui outro lá, mas não era da potencialidade que há no presente momento. A situação é grave”, concluiu.

 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




1 Comentários

Carlos Nunes - 23/04/2017

Depois que os delatores premiados abriram o bico, e contaram que a maioria das doações, carimbadas nos TRE's como legais, não são coisíssima nenhuma, mas sim pagamentos legalizados de propina pras Empreiteiras ganharem Licitações milionárias - e a rede Globo mostrou tudo isso pro mundo inteiro...caberia ao TSE e TRE's, abrir a Caixa Preta, cruzarem as informações "entre o que os delatores falaram e o que entrou de doação legalizada". É fácil fazer isso...esse trabalho separaria o Trigo do joio. Diz o ditado: papel aceita tudo, inclusive superfaturamento, doações legalizadas, etc. Senão não fizer isso, URGENTEMENTE, esses Tribunais vão passar o resto da vida acreditando que são doações legalizadas, enquanto o resto do Brasil já sabe que não são...só eles vão acreditar nisso? Viva a Imprensa Brasileira que está divulgando a realidade dura, nua e crua. A máscara disso tudo já caiu, felizmente. Alguns delatores, com a cara de pau, disseram: quem é que vai fazer doação pra partido nenhum, se não receber algo em troca. Depois dessa...todas as doações no Brasil ficaram suspeitas pra burro.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA







Mais Comentadas