Terça-Feira, 22 de Outubro de 2019, 17h:41

Tamanho do texto A - A+

Homem se entrega e confessa ter matado funcionário de Zeca Viana

Por: KHAYO RIBEIRO

Um homem, identificado apenas como R.C.M, confessou ter matado Rodrigo Almeida dos Santos, 29 anos, funcionário do ex-deputado estadual Zeca Viana (Pode). O homem procurou a polícia espontaneamente na manhã desta terça-feira (22) e confessou o crime.

Alan Cosme/HiperNoticias

zeca viana

 Ex-deputado estadual Zeca Viana (Pode)

Informações da polícia apontam que Rodrigo Santos foi morto por disparo de arma de fogo após não aceitar a notícia de que foi demitido da fazenda de Zeca Viana e ter iniciado uma discussão.

A morte aconteceu por volta das 11h desta segunda-feira (21), na Fazenda Primavera, localizada no município de Porto Alegre do Norte (1.137 km de Cuiabá).

A vítima foi encaminhada ao Hospital Municipal de Confresa, mas morreu antes de dar entrada na unidade médica.

O caso está sendo investigado pelo delegado Allan Vitor Sousa Mata, titular da Delegacia de Polícia de Vila Rica.

Entenda o caso

Segundo o boletim de ocorrência, a denúncia da morte de Rodrigo Santos foi registrada por um enfermeiro do Hospital Municipal de Confresa – unidade médica mais próxima ao local do fato.

O profissional da saúde narrou aos policiais que um rapaz havia sido encaminhado ao hospital já sem vida após ser vítima de disparos de arma de fogo.

A narrativa policial aponta ainda que Rodrigo Santos teria ficado “indignado” ao saber que foi demitido da fazenda, momento em que iniciou uma discussão com o suspeito.

Além do enfermeiro, outros dois funcionários também fizeram declarações sobre o caso. Os trabalhadores narraram que estavam em uma oficina quando tudo ocorreu. Eles informaram que só souberam da situação quando o patrão, Zeca Viana, os chamou para encaminharem a vítima ao hospital.

Um dos homens disse aos policiais que Rodrigo Santos era muito agressivo com os demais colegas e que “brigava com todo mundo”. Os trabalhadores não descartaram a possibilidade de a vítima estar sob efeito de drogas no momento da discussão.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei