Quinta-Feira, 22 de Junho de 2017, 08h:12

Tamanho do texto A - A+

Homem que matou jovem com estrangulamento e enxadada é preso em Goiás

Por: CAMILLA ZENI

Uma força tarefa entre a Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Mato Grosso, a do Estado de Goiás e a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) conseguiu localizar e prender, na tarde de quarta-feira (21), o assassino confesso Marcos Paulo Liberato da Silva. Ele afirmou ter matado uma jovem estrangulada, além de ter usado uma enxada para quebrar sua cabeça.

 

Reprodução

Mulher morta no santa laura

 Mulher é encontrada amarrada e espancada no bairro Santa Laura

O acusado estava foragido desde a manhã seguinte do crime, que aconteceu no dia 3 de março deste ano, no bairro Santa Laura, em Cuiabá. Ele foi preso no município de Aparecida de Goiânia (GO), ao deixar a casa de um amigo.

 

Marcos Paulo confessou o crime aos agentes que fizeram a detenção. De agora em diante a delegada Juliana Chiquito Palhares, responsável pelas investigações, o aguarda em Cuiabá para dar continuidade ao inquérito do caso.

 

O assassino ainda informou que trabalhava com o tráfico de drogas, por cerca de oito meses, quando morava em Cuiabá.

 

Os policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) deve recambiar o rapaz para Cuiabá ainda essa semana para proceder com o interrogatório e fazer a condução do suspeito para Mato Grosso.

 

PJC

Marco Paulo dhpp

Marco Paulo Liberato assassino confesso

O caso

O crime chocou a população cuiabana na época do acontecimento, e, até hoje, é considerado um dos casos de feminicídio mais brutais registrados em Mato Grosso.

 

A vítima, identificada como Lucinete Maria da Silva, foi encontrada amarrada, pelos braços e pés, com cabos dos mais variados tipos, como de ferro de passar roupa, barbante, fio de varal e cabos de energia. Ela também apresentava diversas marcas de espancamento pelo corpo.

 

O estado da mulher chegou a ser comparado como o de um animal morto. “Ele amarrou o corpo unindo o pescoço e a perna, igual caçadores fazem com bicho”, observou a delegada à época.

 

Conforme a delegada, o assassino utilizou um cabo de enxada para bater na cabeça da vítima, que sofreu traumatismo craniano.

 

A cena do crime revelava que ambos tiveram relação sexual momentos antes, o que ter sido um ato consentido ou não.

 

Vizinhos relataram que o casal havia discutido e, logo após, não puderam ouvir nada mais, já que o assassino tomou o cuidado de ligar o som no volume máximo, para abafar os gritos da vítima.

 

O crime aconteceu na casa do suspeito e foi descoberto pelo tio de Marcos, que, quando chegou ao endereço, ainda encontrou o som ligado.

 

O tio de Marcos chegou a dizer à polícia que o acusado sofre de problemas mentais. Segundo ele, o pai do assassino tem esquizofrenia. No entanto, apenas exames podem comprovar o estado clínico.

 

A identificação da vítima foi feita por familiares de Lucinete. Na época, eles informaram desconhecer qualquer ligação entre a moça e o acusado. Segundo eles, nem mesmo amigos eles eram, já que o nome do homem nunca foi mencionado nas reuniões da família.

 

A delegada responsável pelo caso já iniciou os procedimentos de interrogatório, e acredita que a origem de novos crimes possa ser desvendado com o depoimento do suspeito.

 

Leia mais:

Homem usa cabo de enxada para quebrar cabeça de mulher encontrada amarrada e estrangulada

Família reconhece corpo de mulher morta no Santa Laura e suspeito continua foragido

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei - 2

Leia mais sobre este assunto