Quinta-Feira, 19 de Setembro de 2019, 08h:37

Tamanho do texto A - A+

Homem que matou jovem asfixiada e gravou vídeo é preso em Cuiabá

Por: LUIS VINICIUS

Em uma operação conjunta, policiais civis prenderam na manhã desta quinta-feira (19), Maykon Junior da Silva Dantas, conhecido como “Japão”. Ele é suspeito de ter assassinado a namorada Vanessa Tito Poquiviqui Ramos, 21 anos, no dia 31 de janeiro de 2018, no bairro Três Barras, em Cuiabá.

Alan Cosme/HiperNoticias

homicídio vanessa no tres barras


A prisão de Japão foi realizada no bairro Coxipó do Ouro, na Capital. Os policiais chegaram até o suspeito devido investigações desde o dia do crime.

Maykon estava com prisão decretada pela Justiça desde o dia 3 de fevereiro de 2018, pouco dias depois da morte da jovem.

Além de policiais da DHPP, participaram da ação, agentes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Polinter e Delegacia de Reprensão ao Entorpecente (DRE). Japão será encaminhado ao Fórum de Cuiabá, onde passará por audiência de custódia. No procedimento, será definida qual unidade penitenciária ele ficará à disposição da Justiça.

O crime

Vanessa foi encontrada morta pela mãe do suspeito e rapidamente, acionou a Polícia Civil. No local, os policiais encontraram a jovem na cama do quarto do casal. O corpo apresentava lesões no rosto, um corte de faca no supercílio e outro corte superficial no queixo. A vítima estava com a blusa levantada, seios à mostra e só de calcinha.

Pouco tempo depois do crime, um vídeo foi compartilhado nas redes sociais, o qual mostra momentos antes da morte da jovem Vanessa. As imagens chamaram atenção, pois em determinado momento, o suspeito chega a rezar a oração do "Pai Nosso" e, mesmo com a voz embargada, Vanessa tenta acompanhar o namorado.

No vídeo, Vanessa aparentava estar totalmente fora de si, dizendo palavras incompreensíveis. Para alguns especialistas, a jovem está "agonizando por conta da dor". As imagens, segundo a polícia foram gravadas pelo ex-companheiro da jovem, que pede pra ela se levantar, reagir e em seguida a indaga: "porque você fez isso, Vanessa?".

No primeiro laudo técnico dos médicos legistas do Instituto Médico Legal de Cuiabá, o motivo da morte de Vanessa seria asfixia e espancamento. No início da filmagem, espalhada pelas redes, ela aparece sangrando pela boca e com dificuldade na fala.

Já em outro trecho do vídeo, que tem pouco mais de 15 minutos, Vanessa cai da cama. No rosto dela é possível ver machucados no queixo e testa feitas com algum objeto cortante. Ela aparece só de calcinha e blusa. "Ai, vai machucar ai. Depois vão falar que...", diz o rapaz que filma os minutos finais de vida da jovem.

Devido ao conteúdo, o vídeo não será publicado.

Reprodução

dhpp japao.jpg

A vítima morava há cerca de 1 mês, antes do crime, na casa dos pais de Maikon.

O suspeito tem quatro passagens, sendo três por violência doméstica, com vítimas diferentes, mas nenhuma contra a jovem morta.

A primeira foi registrada em 2009, por lesão corporal, com procedimento realizado pela Delegacia da Mulher de Cuiabá, tendo sido condenado nesse processo e, posteriormente, beneficiado com uso de tornozeleira.

Em 2011 respondeu procedimento na 2ª Delegacia de Polícia do Carumbé, por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido, Lei 10826/03.

A terceira incidência criminal tramitou pela Delegacia Especializada dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), no crime de lesão corporal e injúria contra uma menor de idade.

A quarta passagem também está inserida na violência doméstica, no crime de lesão corporal. A autuação ocorreu no dia 5 de outubro de 2017, em inquérito na Delegacia da Mulher de Cuiabá.

A Delegacia da Mulher de Cuiabá informou não haver nenhum registro de violência praticada contra a vítima do feminicídio desta manhã.

Avalie esta matéria: Gostei +13 | Não gostei - 2