Sábado, 15 de Junho de 2019, 07h:47

Tamanho do texto A - A+

Mesmo com liminar concedida há 40 dias, idoso aguarda transferência para Hospital do Câncer

Sebastião está internado há mais de dois meses no Pronto-Socorro da Capital

Por: FERNANDA ESCOUTO

O idoso Sebastião Gonçalves Ferreira, 65 anos, que já teve liminar deferida pela Justiça, aguarda transferência para o Hospital do Câncer ou outro hospital de referência para realizar tratamento da doença em estado avançado.

Divulgação

Hospital do C?ncer

 

Nesta sexta-feira (14), a juíza Gabriela Carina Knaul de Albuquerque e Silva determinou a transferência do paciente em 24 horas, sob pena de multa de R$ 30 mil em caso de não cumprimento.

Desde o dia 9 de abril, o idoso está internado no Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC). Apesar da liminar deferida pela Justiça, no dia 3 de maio, que determina que ele seja deslocado para outra unidade de saúde.

“Ele já pediu para morrer. Isso rachou o meu coração. Quantas vidas ele já salvou e está perdendo a dele desse jeito? Ele está desiludido com a situação. Está magoado, sentindo muitas dores”, afirmou Noemilson, um dos filhos de Sebastião, referindo-se aos 30 anos em que o pai trabalhou no Corpo de Bombeiros da Capital.

O idoso chegou ao Pronto-Socorro com quadro de dorsalgia associada ao cansaço e à perda de peso. Segundo o filho, ele emagreceu cerca de 20 kg nesse período. Como já tinha histórico de câncer renal, Sebastião foi submetido à avaliação especializada, que chegou à hipótese diagnóstica de nova neoplasia, talvez com metástase óssea.

Diante de tal quadro, considerando a gravidade da patologia, houve orientação de transferência imediata para o Hospital de Câncer de Cuiabá para melhor definição diagnóstica e tratamento especializado, sob pena de morte prematura.

Sebastião não está tomando medicação específica para o tratamento do câncer, pois, segundo informações dadas pelos funcionários à família, não há oncologista no PSMC.

De acordo com o filho, o idoso estava caminhando quando chegou ao PSMC. “Até então, ele estava vivendo normalmente. Certo dia, ele machucou a coluna. Sentia dores muito fortes. Fomos ao médico e nada de achar o que era. Um dia, levamos ele à Policlínica do Planalto e a médica disse que poderia ser um tumor na coluna”, relatou.

O estado de saúde do idoso vem se agravando rapidamente desde que foi internado no Pronto-Socorro. “Ele já está definhando, não está comendo. Toma suplemento, toma caldo, mas alimento sólido ele não come”, finalizou Noemilson.

 

(Com Assessoria)

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto