Segunda-Feira, 03 de Junho de 2019, 08h:00

Tamanho do texto A - A+

Especialista em cachos conta sobre clientes que redescobriram o visual durante a gravidez

Por: KHAYO RIBEIRO

A gravidez é um momento de transformações na vida de todas as mulheres. Mudanças físicas, comportamentais e simbólicas acontecem nesse momento. No bojo de todo esse processo, muitas mães encontram a possibilidade de se reinventarem a partir da experiência da maternidade. Ao HiperNotícias, a especialista em cachos e visagista Carolina Bispo contou como a gestação impactou diretamente a autoestima de suas clientes e compartilhou, também, alguns casos em que os filhos presentearam as mães com uma transformação estética radical.

 

Reprodução

Grávidas da Carol visagista

 Carmen Maria de Souza e seu esposo

O já conhecido período de pausa na química capilar durante a gravidez é tido por muitas mulheres como um momento de terror. Aquelas que alisam os cabelos se veem, muitas vezes, encurraladas pela maternidade. No período de gestação, a raiz natural cresce e a única opção que muitas enxergam é se jogarem em cortes que disfarcem o máximo o intervalo sem química. 

 

Contudo, contrariando essa narrativa tradicional. A visagista Carol, como é conhecida nas redes sociais, aponta que muitas mulheres voltam à infância no período da gravidez. Isto acontece porque suas clientes olham no espelho seus cabelos naturais e rememoram a ondulação própria que os fios tinham no período da infância ou pré-adolescência - quando geralmente são empurradas para o universo do alisamento químico.

 

Para elucidar a situação já típica em seu consultório de afetos, vulgo ambiente de trabalho, a profissional especialista em cachos conta a historia de duas de suas clientes: Geiza Prado e Carmen Maria de Souza. 

 

Reprodução

Grávidas da Carol visagista

Geiza Prado e sua filha Giovana 

A história de Carol com Geiza data de 2012, quando a especialista ainda aplicava procedimentos de alitamento nos cabelos da cliente. Já insatisfeita com os procedimentos químicos, a visagista foi uma das figuras importantes no processo de transição capilar de Geiza (que estava grávida na época).

 

“Existe um intervalo para se fazer a manutenção. Ela descobriu a gravidez bem em cima desse intervalo, a raiz já estava grande. Daí, ela esperou o fim da gravidez, mais o tempo depois do parto que não pode aplicar química, isso tudo deu quase um ano e meio. Esse momento foi um prato cheio para ela se redescobrir”, narra a profissional.

 

Ela conta que, durante toda a gestação da cliente, uma das principais questões de Geiza era como seria vista pela sua filha que estava a caminho. “Todas as dúvidas dela foram até ela tirar a química que já existia. Nesse momento, ela passou a ser elogiada e percebeu que era bonita daquela forma. Geiza percebeu que tinha domínio sobre o cabelo cacheado e não que o cabelo a controlava”, conta Carol.

 

A especialista aponta que as madeixas cacheadas são exemplos de expressão. E faz questão de ressaltar que muitas clientes possam por uma fase para se acostumarem com o novo cabelo. Depois desse período, elas já voltam mais ousadas e querem experimentar mais com o próprio cabelo.

 

Reprodução

Grávidas da Carol visagista

 Transição de Carmen

“A gravidez é só uma temporada. Elas têm que curtir esse momento tão lindo. O trabalho é sempre para fortalecer o que elas têm de melhor. Para elas estarem bonitas não é preciso ter um cabelo super liso. Elas são bonitas com o cabelo natural, com os cortes adequados para cada uma. Eu sempre recomendo um estilo mais dinâmico, muito típico do sanguíneo, porque isso dá energia para viver essa fase”, explica Carol.

 

O outro caso que a especialista traz é o de Carmen Maria. Mais recente que a vivência anterior, a história da profissional se cruzou com a da cliente pelo intermédio de terceiros. Carmen acompanhava o trabalho de Carol pelas redes sociais e veio de Campo Verde para Cuiabá ter uma conversa com a especialista.

 

Durante o diálogo, Carmen decidiu que queria mudar o visual naquele momento mesmo. Ela narrou para Carol que as únicas referências que tinha do cabelo natural eram os fios da infância - quando era submetida a cortes tidos como “masculinos”. 

 

Reprodução

Grávidas da Carol visagista

 

“Ela tinha o alisamento como a única saída possível desde a infância. Naquele dia, fizemos o corte. Ela se olhou no espelho e começou a chorar com a pessoa que estava ali naquele reflexo. Foi um momento muito emocionante”, finaliza a visagista.

 

Os serviços de Carol podem ser acessados em seu endereço comercial, no espaço de beleza “La Provence”, no bairro Goiabeiras, em Cuiabá. Em sessões com as clientes, ela mostra as possibilidades de cada tipo de beleza enquanto realiza cortes de cabelo e coloração. Nas redes sociais, a profissional pode ser encontrada por meio de seu Instagram, @carolbispo_visagista, ou pelo Facebook, Carol Visagista Cuiabá.

 

Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto