Sábado, 18 de Janeiro de 2014, 17h:31

Tamanho do texto A - A+

Em livro, historiadora garante que Adolf Hitler viveu e morreu em MT

Simone Dias é historiadora e mora em Chapada dos Guimarães; Para ela, Hitler morou, trabalhou e foi enterrado na cidade de Nossa Senhora do Livramento

Por: MAX AGUIAR






Enquanto escrevia e pesquisava sobre outros assuntos, a historiadora Simone Dias descobriu algo que pode colocar Mato Grosso como a derradeira passagem do nazista Adolf Hitler. De acordo com o livro publicado por ela, o município de Nossa Senhora do Livramento pode ter sido a cidade em que o ditador alemão morreu.


“É de verdade um livro onde os leitores têm a chance de pesquisar a história da fase final da vida de um homem que é conhecido mundialmente. Pesquisei, demorei dois anos pra acreditar na história e agora entrei de cabeça. Eu acredito e sei que o homem em questão é o Hitler enterrado em Livramento”, disse a historiadora.

Simone Dias é moradora da região da Mata Fria, em Chapada dos Guimarães, local conhecido como Casa do Mel, onde há mais de 20 anos é um dos pontos mais visitados da Rodovia Emanuel Pinheiro. O mel vendido lá vem da cidade de Poconé, cidade distante 100km de Cuiabá, onde no meio do caminho se passa por Livramento, local onde a historiadora conhece bem.

Marcos Lopes/HiperNotícias



Tudo começou em 2007, quando a caminho de Poconé, alguém que a historiadora não diz o nome, soprou em seu ouvido que na década de 80 um alemão velho morou na cidade e que ele seria o militar político Adolf Hitler. “Fiquei dois anos pra acreditar na história, mas comecei a conectar as peças que eu tinha em mãos e comecei as buscas”, revelou.

Chegando a Livramento, Simone descobriu que  Hitler supostamente era chamado de Adolf Leipzig, sobrenome que lembrava o nome da cidade de Sebastian Bach, músico que Hitler era muito fã. “Minhas dúvidas começavam a se desfazer e eu então decidi entrar de cabeça e comecei a pedir informação na cidade. Lá é pequeno, quem conhece Livramento sabe que todos sabem da vida de todos. Então descobri onde o ‘alemão velho’ morava e com ele vivia”.

Crendo que o suposto alemão seria Hitler, Simone descobriu que ele trabalhava de agricultor e em um certo dia, pelo idos de 1986,  se acidentou e quebrou a perna em uma queda do trator. “Ele precisou de ajuda médica e veio para Cuiabá, onde foi atendido na Santa Casa. Lá ele se deparou com uma irmã de caridade que era polonesa, que ao perceber a presença de Hitler naquele lugar, gritou que ele jamais ia ser atendido ali, porque se tratava de um matador odiado pelo mundo. O acompanhante do alemão pediu pra a irmã se calar e que ele estava ali como paciente e eles tinham ordem do Papa para que ele fosse atendido”, afirma historiadora em um trecho do livro.

Na publicação aparece a imagem dos documentos que ela buscou nos arquivos da Santa Casa que comprova o atendimento ao Adolfo Leipzig. Segundo Simone, naquele dia, ele passou por uma cirurgia e teve que colocar um espiral na perna.


Marcos Lopes/HiperNotícias

Historiadora segurando as roupas que o alemão velho foi enterrado em Nossa Senhora do Livramento



Mas o que Hitler estaria fazendo em Mato Grosso, quando alguns relatos dizem que ele morreu após ser exilado para a Argentina? A historiadora responde. “Ele veio a Mato Grosso porque ficou sabendo, através de um mapa dado pelo papa Pio,  que ele iria encontrar ouro. Ele conseguiu encontrar a tal mina, mas não desvendou o enigma para entrar e voltou sem êxito para Livramento, onde ficou com uma mulher morena até o fim dos anos 80 quando morreu e lá mesmo foi enterrado."

Depois de vir a Cuiabá colher algumas informações, a historiadora voltou à Nossa Senhora do Livramento e decidiu perguntar para o coveiro da cidade sobre informações do túmulo onde Hitler, até então alemão velho, estaria enterrado.

“Cidade pequena o coveiro sabe de tudo (risos). Dei um dinheiro pro rapaz e ele ligou pro pai dele que era o antigo coveiro de Livramento e fomos ao Cemitério junto com um médico legista da UFMT que me ajudou. Quando encontramos o túmulo, eu fui direto aos pedaços dos ossos e encontrei o espiral na perna operado que ele tinha acidentado em 1986. Trouxe tudo comigo, roupa, pedaços de ossos que estão sendo estudados e um pedaço de renda, que é uma tradição dos alemães ao ser enterrado”, disse a historiadora que tem todos os objetos, inclusive uma arma que foi utilizada pelo alemão velho antes de seu falecimento.

Marcos Lopes/HiperNotícias

Imagem da arma que, de acordo com a historiadora Simone Dias, teria sido usada por Hitler em Nossa Senhora do Livramento



Outros detalhes da presença de Hitler no Brasil, com passagens pelo Paraná, Rio Grande do Sul e Nobres, estão disponíveis no livro. Em sua dedicatória a historiadora usa os dizeres: “Uma história para se pesquisar”. Mas engana-se quem acredita que todo o esforço da historiadora é para conquistar fama ou fortuna.

"Se eu conseguir comprovar através de exames com os ossos, que eu tenho guardado, que o tal alemão velho era mesmo o Hitler, com certeza nosso estado será lembrado mundialmente como o local que morreu o chefe dos nazistas. Uma pessoa sem rumo que simplesmente desapareceu. Não quero nada além do reconhecimento do nosso estado”, revela Simone Dias.

Simone Dias já começou a escrever a segunda edição, e nem por um punhado de moedas, como ela mesmo diz, não revela o fator primórdio do livro. “Por enquanto o que posso adiantar é que nesse livro vou relatar o resultado do exame do DNA. Eu vou à Alemanha, onde já contatei pessoas que irão me ajudar com isso. A segunda parte será mais encantadora que a primeira, onde afirmo 99% que o alemão velho que passou por Livramento é Adolf Hitler”, finalizou a  historiadora. Ela viaja no mês de março à Europa onde deve entregar os ossos para estudo.
Credito: Marcos Lopes/HiperNotícias
Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




39 Comentários

ANDERSON HINTERLANG - 16/07/2019

HISTÓRIA PRA LÁ DE FANTASIOSA ESSE SENHOR CHAMA-SE ADOLF LÄPPING, ALEMÃO SIM, PORÉM UNS 20 ANOS MAIS NOVO QUE HITLER, VEIO MUITO JOVEM AO BRASIL NA METADE DOS ANOS 20 , FOI CRIADO AQUI, EM UMA CIDADE DO PARANÁ COM NOME DE WENCESLAU BRAZ. ESSA SENHORA É UMA DEMENTE E OPORTUNISTA, DEVERIA SER PRESA PELO QUE FEZ, PERTURBANDO A PAZ DE MEU TIO AVÔ, IRMÃO DE MINHA AVÓ MARIA LÄPPING HINTERLANG. MATERAL GENÉTICO PARA PESQUISA TEM AOS MONTES EM WENCESLAU BRAZ E EM SANTO ANTONIO DA PLATINA, PARANÁ.

Sergio - 25/03/2016

Estou muito interssado nessa história, se ele veio a procura de minas de ouro estava no lugar certo, Poconé e Livramento na década de 80 produziu muito ouro e tambén te muita gente estranha na região, eu mesmo presenciei.

GABRIELA - 14/02/2016

bm, na verdade ela pode estar errado eu acho isso loucura tudo bm q varias pessoas vieram pra mt mais acho não muito possivel isso até pq ele não gostava de negros como ele iria casar-se com uma mulher negra? acho q esta mulher esta pirada ele esta sofrendo um processo pois dezenterou ossos, e isso é proibido no noss pais mais claro sem autorizacão

Wilson Santos - 05/08/2014

Senhor Lauro Portela, digo-lhe que vossa senhoria está enganado em sua avaliação. As pessoas citadas prestaram e prestam grandes serviços a MT, eu mesmo sou professor de historia. Não vejo mal em alguem que tem o dom de escrever e gosta disso, escrever sobre história, como é o caso de Moisés, João Carlos e tantos outros por aí. tem que respeitar essas pessoas. Porque que tem que ter diploma em história para escrever sobre história? tem cada porcaria que historiador formado escreve, que dá dó. portanto, ponha seeu rabinho no meio das pernas e não fale bobagem, pois vc certamente é um desses frustrados que está se escondendo atrás de um pseudonimo, quando não tem peito e nem coragem prá se manifestar. até nunca.

João - 31/07/2014

Duvido muito,pois em 1986,Hitler teria aproximadamente 97 anos,acho MT dificil um senhor com tal idade sobreviver a uma queda de um trator e uma cirugia,como a própria matéria diz ele morreu no fim dos anos 80 quando ele já tinha aproximadamente 100 anos

FABIO SENA - 26/02/2014

até que se prove ao contrario tudo e possível. A historia esquece de falar que antes da segunda guerra nossos governantes tinham muita simpatia pelo modelo ( nazismo ) . HÁ ESQUECI VOCÊS ESTÃO EUFÓRICOS PELA COPA NO BRASIL ... lembra minha frase no começo? No que vocês acreditam ? HÁ NAS OLIMPÍADAS ! lembra da minha frase no começo ?

Alexandre dos santos dias - 20/02/2014

Onde ele morreu nao importa, O que importa e que ele esta morto!!!

Albert - 26/01/2014

Acho muito interessante a pesquisa, mas fazê-la somente por tentar colocar Mato Grosso no mapa por meio de um ditador escrupuloso que matou milhares de pessoas por motivos insanos, desculpe-me mas não é por motivos como esse que pesquisadores devem procurar o saber. Simplesmente ufanismo patético.

Sebastião Fontana - 26/01/2014

Vai fazer alguma coisa mais útil Simone.... Rachar uma lenha por exemplo...kkkkkk

Henrique Mourão - 23/01/2014

Parabéns Simone Dias. Quem pode Questionar se isso realmente não aconteceu? Os alemães simularam suas próprias mortes para fugirem ou não serem capturados pelos aliados. Nunca devemos duvidar de algumas evidências. Simone continue sua pesquisa interessante.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 3