Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 16h:35

Tamanho do texto A - A+

Jacaré é confundido com lagarto ao tentar invadir casa em VG

Por: KHAYO RIBEIRO

Moradores do bairro Guarita, em Várzea Grande, se surpreenderam com a “visita” inesperada de um jacaré no início da noite desta quarta-feira (21). À primeira vista, o pequeno porte do animal confundiu os populares, que acreditaram se tratar de um lagarto.

Divulgação

jacaré no bairro Guarita

 Jacaré foi resgatado pelos bombeiros

Era por volta das 18h30 quando a dona de casa Rosa Maria dos Santos chegou a sua residência. Curiosa com a fala do marido, que disse ter um “bicho tentando invadir a casa”, a mulher se dirigiu próximo ao portão para ver qual era o animal.

À distância, o casal não conseguiu identificar qual era o animal que assustava os cachorros na entrada da casa. Para Rosa Maria, o rabo longo e o contorno corporal do animal apresentavam sinais de que se tratava de um grande lagarto.

A expectativa da família, contudo, foi quebrada quando ao avançar alguns metros mais próximo ao portão, percebeu-se que na verdade era um jacaré de pequeno porte.

“A gente ficou assustado, porque o pessoal diz que quando tem o papo amarelo, que nem esse, é porque é dos agressivos”, relembra a dona de casa.

À reportagem, Rosa Maria afirma que esta não é a primeira aparição desse tipo de réptil na área. Em 2018, um outro jacaré teria aparecido no bairro. Ela lembra que, na época, o animal foi fotografado por diversas pessoas do bairro.

A moradora do bairro Guarita vê com estranheza a aparição do animal, uma vez que se atravessa o período de estiagem. Contudo, ela lembra que as pessoas costumam colocar fogo nas diversas áreas verdes que existem próximas a sua casa, o que poderia ter causado uma expulsão do réptil de seu habitat.

“A gente ligou e o Corpo de Bombeiros veio pegar o jacaré. Mas fico alerta agora, vai que eu estou saindo de casa e um jacaré morde minha perna no portão”, se diverte a dona de casa.

Em casos de aparição de animais silvestres, a recomendação é que se entre em contato com o Corpo de Bombeiros (193) ou, ainda, com a Defesa Civil municipal (199).

Credito: Divulgação
Credito: Divulgação
Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei - 1







Mais Comentadas