Terça-Feira, 08 de Janeiro de 2019, 11h:07

Tamanho do texto A - A+

Com salários atrasados há seis meses, médicos do Samu pedem socorro à população

Por: KHAYO RIBEIRO

A equipe médica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) divulgou uma carta aberta denunciando condições “indignas” de trabalho e ameaçando demissão em massa, caso providências não sejam tomadas em favor dos profissionais. No documento, endereçado à população cuiabana e autoridades competentes, os médicos comunicam atraso na folha salarial que já se estende há seis meses. Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que houve conversa com os profissionais para se buscar uma solução o mais rápido possível. Os serviços oferecidos à população estão mantidos.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

samu

 

Angustiada, a equipe demonstra conhecer a necessidade da prestação do serviço médico, mas lembra que os esforços em dar assistência à comunidade, sem condições adequadas de trabalho, já perduram há tempos.

 

O tom de denúncia não se restringe aos salários, os profissionais apontam falta de medicações básicas e ausência de luvas para o atendimento inicial. A falta de ambulâncias e macas também são levantadas no documento.

 

“Posto isso e diante da gravidade da situação, gostaríamos do apoio da população e das autoridades para nos auxiliar a resolver tal desagradável situação, pois não há nenhuma instituição dentro do nosso colossal estado tão abandonada quanto os médicos do Samu”, narra o trecho final da carta.

 

Confira nota na íntegra

 

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, informou na manhã desta terça-feira (08.01) que os serviços do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) estão mantidos, tranquilizando, assim à população. Com o objetivo de estabelecer uma relação de confiança, Gilberto se reuniu com representantes dos médicos que trabalham no Samu, e, durante uma conversa franca, garantiu aos profissionais que a SES está trabalhando para encontrar uma solução imediata, regularizando quaisquer pendências. 

 

A SES informa, ainda, que até o mês de agosto foram liquidados todos os débitos com a empresa Universal Med que prestava serviços ao Samu e houve também por determinação da justiça o depósito em uma conta judicial do valor de R$ 406.899,03. Também foi feito o pagamento do mês de setembro à empresa Proclin que substituiu a Universal MED e o mês de outubro já está empenhado e liquidado para pagamento, assim que for aberto o orçamento. A SES reforça que os pagamentos estão dentro dos prazos que é de 90 dias.

 

Confira o documento na íntegra na imagem abaixo. 

Divulgação

Carta dos médicos do Samu

 

Credito: Divulgação
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei







Mais Comentadas