Sexta-Feira, 12 de Abril de 2019, 17h:12

Tamanho do texto A - A+

Alergias alimentares são tema de palestra na Unimed Cuiabá

Por: REDAÇÃO

Na noite da última quinta-feira (11), o auditório da Unimed Cuiabá recebeu dezenas de pessoas, entre cooperados, colaboradores, beneficiários e comunidade em geral, para discutir as causas, sintomas, tratamentos e diagnóstico das alergias alimentares. A atividade foi realizada pela Cooperativa, em parceria com a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia regional Mato Grosso (ASBAI-MT) em alusão à Semana Mundial de Alergia, que ocorreu entre os dias 7 e 13 de abril.

Divulgação

Unimed - alergias alimentares palestra

 

A presidente da ASBAI – MT, a médica alergista Dra. Ana Carolina Santos, ministrou a palestra “Alergia alimentar: um problema global” onde abordou, entre outros temas, o conceito de alergia alimentar, como funciona o processo alérgico e alimentos mais comumente relacionados às alergias alimentares. Um dos pontos que mais chamou atenção do público foi o debate sobre a diferença entre intolerância à lactose e a alergia à proteína do leite, muito comuns em crianças.

“A lactose é o açúcar do leite e a intolerância a ela é a dificuldade de digerir este açúcar o que, normalmente, causa reações gastrointestinais. Já a alergia alimentar ao leite é uma reação às proteínas do leite, e pode ter consequências mais graves, com sintomas cutâneos e respiratórios. Muitas pessoas confundem alergia com intolerância. É necessário acompanhamento médico especializado para identificar caso a caso o real problema e para garantir um tratamento adequado”, explicou.

De acordo com a palestrante, mais de 170 tipos de alimentos são considerados potencialmente alergênicos. No entanto, a maioria dos casos de reações são causados por alimentos comuns como leite, ovo, soja, trigo, amendoim, castanhas, peixes e frutos do mar. “Os casos de alergias, principalmente em crianças, têm aumentado ano a ano em todo o mundo. Por isso, iniciativas como essa da Unimed Cuiabá são fundamentais para difundir conhecimento sobre o tema, pois, nos casos mais graves, alergias alimentares podem levar à morte”, alertou a alergista.

Completando a programação da noite, a nutricionista Marina Ayres Portela deu dicas sobre substituição de alimentos em receitas para uma dieta equilibrada para pessoas com restrições alimentares e a importância do cuidado com o intestino para a absorção adequada de nutrientes.  Além disso, a especialista deu orientações sobre leitura de rótulos de produtos industrializados para evitar o consumo de alérgenos. Após as apresentações, uma roda de conversa entre as especialistas e o público esclareceu as principais dúvidas dos presentes sobre o tema.

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto








Mais Comentadas