Terça-Feira, 15 de Maio de 2018, 08h:00

Tamanho do texto A - A+

Taques descarta isentar universidades de pagar ICMS

Por: FELIPE LEONEL

O governador Pedro Taques (PSDB) descartou isentar a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) de pagar Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre a energia elétrica. A reivindicação parte dos estudantes da Universidade Federal como uma alternativa ao aumento do valor da refeição no Restaurante Universitário, de R$ 1 para R$ 5.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

pedro taques/balaço da caravana em cuiaba

 

De acordo com Taques, não cabe ao Estado resolver problemas do Governo Federal. “Onde já se viu, o primo pobre ajudando o primo rico?”, ironizou Taques. “Cabe a Universidade resolver o seu problema e não ao governo do Estado. Senão, vai ficar uma panaceia, o governo vai ser remédio para todos os males, de dor de cabeça ao câncer”, disse Taques.

 

A sugestão para o governo isentar a Universidade Federal partiu do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e foi “adotada” pelo deputado estadual Allan Kardec (PDT). De acordo com o parlamentar, a ação iria resultar em uma economia anual de R$ 4 milhões. Os estudantes reclamam da falta de diálogo no reajuste do serviço.

 

A UFMT conta com cerca de 30 mil alunos, sendo 12 mil apenas no campus de Cuiabá, onde 5 mil refeições são servidas diariamente. Além disso, 70% dos estudantes dependem do Restaurante Universitário por possuírem renda per capta inferior a 1,5 salário mínimo. Os estudantes realizaram uma manifestação na tarde desta segunda (14) na sede do Governo do Estado.

 

“Vou receber com muito respeito os estudantes, é muito bom manifestação. Agora, o Governo do Estado não vai poder resolver todos os problemas do mundo. Cada um deve ficar no seu quadrado, cada um com suas atribuições constitucionais”, afirmou o governador Pedro Taques, durante coletiva de imprensa na sede do governo na segunda-feira.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei