Quarta-Feira, 16 de Maio de 2018, 14h:18

Tamanho do texto A - A+

Política de Trump preocupa governo de Mato Grosso

Por: FELIPE LEONEL

A política internacional do presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, de valorização do dólar frente ao real preocupa o governo de Mato Grosso. Em 2012, o Estado contraiu uma dívida de U$ 479 milhões com o Bank Of América, quando o valor da moeda era R$ 2,02. A realidade do dólar é diferente hoje e a moeda está cotada R$ 3,68 nesta quarta-feira (16).

 

Alan Cosme/HiperNoticias

pedro taques/balaço da caravana em cuiaba

 

A valorização da moeda americana teria sido motivada, em grande parte, devido à decisão do presidente americano em sair do acordo nuclear do Irã. A próxima parcela da famigerada dívida dolarizada será paga em setembro, quando será apurado o câmbio da moeda. Em março, o governo desembolsou cerca de R$ 150 milhões para pagar uma parcela.

 

Até lá, o governador do Estado espera que o Tesouro Nacional intensifique atividades de “swaps cambiais”, vendendo dólares abaixo do preço do mercado para forçar o valor da moeda cair frente à moeda brasileira. A contratação do empréstimo ocorreu sem uma trava cambial, chamada de “Hedge”. A ausência dessa trava expôs Mato Grosso à variação cambial.

 

O valor da dívida hoje é de R$ 1,7 bilhão, quase o dobro do valor inicial. “Com certeza, teremos flutuação do câmbio e quem conduz a política monetária é a União Federal e o Banco Central. Eles possuem instrumentos para fazer essa variação ficar no centro da meta, através da venda de dólares pelo BC”, afirmou o governador Pedro Taques.

 

Venda da dívida

 

O Governo do Estado está autorizado pela Assembleia Legislativa a vender a dívida dolarizada para o Banco Mundial. Com a negociação, o valor da dívida iria diminuir, além de o Estado deixar de ser refém da variação cambial do dólar. Entretanto, o Estado precisaria ceder em algumas contrapartidas, como deixar de conceder a Revisão Geral Anual (RGA) dos servidores.

 

“Nós ainda estamos conversando. As tratativas se fazem pela Secretaria de Fazenda e a filial do Bank Of América em São Paulo. Eles mandam as propostas para os Estados Unidos, depois volta, nós conversamos... Precisamos cumprir alguns requisitos e estamos buscando cumprir todos”, disse Taques, durante coletiva na manhã desta segunda-feira.  

 

PEC do Teto

 

O governador ainda disse que a Emenda Constitucional do Teto de Gastos, aprovada pela Assembleia Legislativa no ano de 2017, já deu resultados a Mato Grosso. De acordo com Pedro Taques, o Estado já está deixando de repassar cerca de R$ 80 milhões ao Governo Federal devido à suspensão da dívida do Estado.

 

Com isso, o governo tem conseguido efetuar os repasses da Saúde em dia neste ano. "Os repasses para os municípios estão em dia em 2018. O transporte escolar também, nós fizemos os repasses ao Poder Judiciário sem maiores complicações. Existe atrasado, quero reconhecer, mas nós estamos conseguindo encaixar 2018 dentro de 2018", concluiu Pedro Taques.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei