Terça-Feira, 15 de Maio de 2018, 15h:27

Tamanho do texto A - A+

Nogueira nega que sua posse seja indicação política

Por: MICHELY FIGUEIREDO

O novo presidente do Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat), Demílson Nogueira, afirmou que sua posse não está atrelada a nenhum acordo político com o governador Pedro Taques (PSDB) mirando o projeto à reeleição do chefe do Executivo Estadual. Conforme o presidente, o momento certo para tratar de alianças políticas é agosto. A nomeção foi publicada no Diário Oficial, que circula nesta terça-feira (15).

 

Ednei Rosa /Agência ERosa

DEMILSON NOGUEIRA

 Demílson Nogueira é o novo presidente do Intermat

"Estou trabalhando. Não trato de indicação partidária. As questões políticas vamos tratar para frente. Estou aqui para trabalhar. Há muita especulação. Vamos tratar de política no momento certo. Não houve nenhuma rasteira", disse Nogueira.

 

A nomeação de Nogueira para presidir o Intermat vem sendo tratada como uma possível aproximação do Progressistas do governador. No entanto, o presidente estadual da legenda, deputado federal Ezequiel Fonseca, já entregou uma carta de intenções ao pré-candidato ao governo pela oposição, senador Wellington Fagundes (PR) e descartou a possibilidade de caminhar novamente com o tucano. A posse de Nogueira poderia provocar um racha na legenda. 


Segundo o presidente do Intermat, havia interesse de sua parte em assumir uma vaga na Câmara Municipal. Como suplente de vereador, a posse se confirmaria caso Diego Guimarães (PP) tivesse aceitado o convite de assumir a presidência do Instituto. No entanto, ao receber orientação da Procuradoria Legislativa de que perderia o mandato se assumisse o cargo no Executivo, Guimarães refluiu e decidiu voltar à cadeira de parlamentar.


Nogueira já foi prefeito e garantiu que sua maior vontade é "servir". "Participo de eleições pensando em servir. Como prefeito foi assim, como vereador foi assim. Minha vontade era ir para a Câmara. Mas agora vou prestar serviço a Mato Grosso e estou feliz da vida. Política vamos tratar no momento apropriado".


"Temos 4.300 imóveis para regularizar em 129 assentamentos. Oo que vou fazer agora é trabalhar. Agosto chega e vamos falar de política. Até porque tudo ocorreu dentro de uma normalidade. Na política há divergências", ressaltou.


Questionado sobre o posicionamento do presidente estadual do Progressista, deputado federal Ezequiel Fonseca - que já havia se posicionado contra a posse de Diego Guimarães no cargo e dito que a recomendação era manter distância do governo Taques - Nogueira afirmou que conversou com o parlamentar, mas não gostaria de criar nenhum tipo de celeuma.


"Tenho um relacionamento pessoal e não vou fomentar discussão. Ele não disse nada em relação a mim. Não quero criar celeuma. Estou consciente dos meus passos e quem deu o primeiro passo não fui eu. Tenho carinho e amizade pelo Ezequiel e não vou para o confronto", ponderou.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei