Quarta-Feira, 18 de Julho de 2018, 08h:12

Tamanho do texto A - A+

"Metade dessa famosa rejeição é de pessoas que não sabem do que eu fiz”, afirma Taques

Por: DANNA BELLE

O governador Pedro Taques (PSDB) debochou da pesquisa realizada pela Segmenta Dados e Pesquisa e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 00672/2018. O tucano aparece com 41,19% de rejeição seguido pelo ex-prefeito Mauro Mendes (DEM) com 12,01%.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

pedro taques

 Governador de Mato Grosso, Pedro Taques

“A que o DEM está em primeiro lugar para Governo, Senado, para deputado federal, deputado estadual, síndico de condomínio, né?!”, disparou durante almoço com jornalistas no Palácio Paiaguás nesta terça-feira (17).

 

Na intenção de votos para governador, Mauro Mendes (DEM) está com 23,45%, seguido de Taques com 17,43%. Para o Senado Federal, Jayme Campos (DEM) é o mais cotado com 25,75% e em segundo, a juíza aposentada Selma Arruma (PSL) com 13,69%.

 

O nome do presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM) é o mais lembrado para deputado estadual com 3,65%. Já, no quesito deputado federal, Fábio Garcia (DEM) foi o mais citado, registrando favoritismo de 5,43% dos entrevistados.

 

“Respeito todas as pesquisas, mas vou responder da seguinte forma: neste momento histórico aqui, Dante [de Oliveira] estava com 12%, Júlio [Campos] com 58%. Eu estava com 2% nas pesquisas para Senado”, avalia o governador.

 

“Foi feita uma decomposição dessa rejeição, 50% dessa famosa rejeição são pessoas que não sabem do que eu fiz”, alegou.

 

Ainda reforçando seu discurso de possíveis mudanças na intenção de votos dos eleitores mato-grossenses, Taques citou o caso da eleição suplementar para Governo em Tocantins.

 

“Veja o que ocorreu em Tocantins, a Kátia Abreu e o prefeito de Palmas [Carlos Amastha], estavam em primeiro e segundo lugar e não foram nem para o segundo turno. As pessoas mudam de opinião”, explicou.

 

Os candidatos Mauro Carlese (PHS) e Vicentinho (PR) disputaram o segundo turno em junho deste ano.

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto