Quarta-Feira, 16 de Maio de 2018, 10h:52

Tamanho do texto A - A+

Justino diz que vai decidir sobre troca de membros da CPI até terça-feira

Por: FELIPE LEONEL

O presidente da Câmara de Vereadores de Cuiabá, vereador Justino Malheiros (PV), foi cobrado pelo vereador Diego Guimarães (Progressistas) para recompor a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó. A CPI investiga o vídeo do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) recebendo propina quando era deputado estadual, além de um áudio apreendido pela Polícia Federal.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

justino malheiros/CPI do paleto

 

O requerimento teria sido apresentado por Guimarães há mais de dois meses. De acordo com o parlamentar, há duas decisões judiciais, nas quais apontam a existência de irregularidades na nomeação dos vereadores Mário Nadaf (PV) e Adevair Cabral (PSDB) como membro e relator, respectivamente. A CPI é presidida pelo vereador Marcelo Bussiki (PSB).

 

Justino prometeu estudar o tema com mais “profundidade” e apresentar uma solução na sessão ordinária de terça (22). “Eu peço, com todo respeito aos vereadores, uma semana aprofunde mais com a Procuradoria para eu dar essa resposta na terça-feira que vem ao plenário. E a escolha vai ser feita pelo Colégio de Líderes”, afirmou Justino Malheiros.

 

O assunto já tem um parecer da Procuradoria da Câmara de Cuiabá afirmando que a decisão de nomear ou não novos membros é um ato discricionário do presidente da Casa. Os procuradores, entretanto, afirmaram serem contra a troca, por entenderem que não houve ilegalidade no ato de nomeação dos parlamentares.

 

De acordo com o líder do prefeito Emanuel Pinheiro na Câmara de Cuiabá, vereador Lilo Pinheiro (PRP), disse desconhecer a existência de uma decisão judicial sobre o assunto.

 

“Não existe decisão judicial alguma determinando a substituição dos membros da CPI, isso foi feito lá atrás como manda o regimento interno com o aval dos líderes partidários. Qualquer outra situação depois de determinação judicial caso isso venha ocorrer não é a critério especifico do presidente, precisa submeter ao colégio de líderes”, concluiu Lilo Pinheiro.

 

A CPI

 

A Comissão investiga o vídeo do prefeito Emanuel Pinheiro recebendo maços de dinheiro quando era deputado estadual. Os vídeos foram anexados na delação do ex-governador junto à Procuradoria-Geral da República (PGR) e homologada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux.

 

Além disso, o áudio encontrado pela Polícia Federal na residência do prefeito, durante a operação Malebolge, é objeto da investigação. O áudio foi gravado por Zanatta, com o delator Silvio Cezar Correa. O arquivo foi divulgado com distorções no conteúdo. O objetivo seria desclassificar a delação.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei