Quarta-Feira, 04 de Novembro de 2015, 09h:40

Tamanho do texto A - A+

Adolescente confessa assassinato de casal com post deboche no Facebook

Por: RODIVALDO RIBEIRO

 

Arquivo Pessoal/Facebook

Aline Macedo

Aline fez post deboche em sua página do Facebook

Morena, bonita, sorridente, comunicativa, apenas 19 anos, fã de mídias sociais digitais como o Facebook. Esse seria o perfil de uma menina pronta a ter um futuro glorioso e a provavelmente pronta a liderar, caso quisesse estudar, empresas ou ser bem-sucedida na profissão que escolhesse. Mas não, esse é o perfil de Aline Macedo, a assassina confessa do casal Claudemilson Ferreira, 41 anos, e Alessandra Sheffer, 23, numa manhã de quarta-feira, ao lado uma estrada vicinal, em Juara (664 quilômetros a noroeste de Cuiabá). Pra piorar, ela fez essa confissão em tom de deboche em sua página pessoal no mesmo Facebook.

 

Casal é encontrado morto a tiros às margens da estrada, com caminhonete capotada

 

 

Em tom de causar revolta e revirar o estômago, num português de doer os olhos e os ouvidos, ela descreve a ação que destruiu a vida de dois seres humanos e suas famílias próximo à rodovia MT-325/220 há menos de um mês, no dia 14 de outubro. Data em que ela –– na companhia de dois menores de idade, de 17 e 13 anos –– planejou e executou o assalto ao casal para levar-lhes a Chevrolet S10 que o trio não teve competência para dirigir. Os três bateram em uma curva e capotaram. Isso depois de já ter executado o casal, a sangue-frio, com evidências de tortura (os dois estavam amarrados, Alessandra trazia uma fronha no rosto).

 

Aline Macedo descreve o que fez naquela manhã (todos os erros do texto são do original, só foi arrumado o que dificultava o entendimento), começa fazendo uma espécie de autoanálise criminosa, sabendo que estava produzindo provas contra si ao confessar o erro: “Sei que estou cometendo a maior burrada postando isso! Mais (sic) tudo bem, vamo la (sic)! Quero deixa aqui umas palavra(sic)! Bom sei que o q fiz não foi certo! Mais infelizmente aconteceu! Não posso muda o passado! Agora vou procurar me intender com a lei! Não vou viver fugindo...  e vou pagar pelo que fiz!”.

Arquivo Pessoal/Facebook

Aline Macedo

 

 

Entretanto, rapidamente o tom que trazia certa conscientização do mal que havia feito desaparece e começa o ar arrogante.  “ E que fique bem claro que apenas estava junto e sim fui eu mesmo que planejei o assalto! Infelizmente o homem reagil e um dos menores atirou nele! E o outro mato a mulher! Aí pegamos a camionete e seguimos até Sinop Mais ai a gente teve a estupidez de capotar a camionete! Vocês devem estar se perguntando onde eu estou neh? Sabe onde eu to? Na cidade do vai cuida da sua vida No bairro vai se fudê na rua Cala a boca e me deixa em paz! Capito a msg ZÉ POVIM????”, tentou escrever.

 

E encerra debochando de todo mundo que não é criminoso. Confusa, fala em Deus mas dá recados em gírias comuns à bandidagem. “E outra quando passa na televisão pra vocês não reajirem a um assalto NAO REAJAO!!! Pocha cara vcs nao sao super herois nao! Peço perdao a Deus pelo que fiz! Mais infelizmente é a vida! Mais intão Deixo aki um abraço Pros verdadeiros que realmente andaram lado a lado! Óh só que vcs lembrem de mim pelo meu lado bom! A q brinca atenta e treta por qualquer coisa! Os que convivero cmg tlg duq to falando! Fica Na Fé FAMÍLIA! Que eu ja to indo!!!”, encerrou, no português típico da tal Geração Y, a mesma que diz fazer várias coisas ao mesmo tempo, mesmo sem entender nenhuma a fundo, que não termina nunca nenhuma tarefa e por isso mesmo entende tudo pela metade, como descreve Sidnei Oliveira, em seu “Conectados Mas Muito Distraídos” (Integrare Editora).

 

“Na prática, o que eu vejo são muitos jovens imediatistas, com essa vontade de dar certo rápido e que, por isso, decidem buscar atalhos”, diz Oliveira. Mais ou menos como parece ser o caso de Aline Macedo.

 

 

Arquivo Pessoal/Facebook

Post polêmico

 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto




3 Comentários

Sampaio - 05/11/2015

" Isso somente mostra a certeza da impunidade,sabe que ficara pouco tempo presa e logo sairá usando a famoso adorno tampa sol com peneira "tornozeleira eletrônica" sobra para família pedir a Deus força para superar tudo isso .."

Lê - 04/11/2015

Ela pode até debochar, mas quando cair a ficha, vai perceber que cavou sua própria sepultura...Esse tom de ironia e frieza dela, é típico das ratazanas mal criadas...Fia, lamento informar mas a justiça dos homens pode até falhar,mas da justiça divina VC não escapa,mas não mesmoooo...Vai rindo e debochando enquanto isso

Juca do Pequi - 04/11/2015

Conversa típica de gentalha, criada sem nenhuma nuance de ambiente familiar. Estúpida, revoltada, ignorante como certamente é sua ascendência. E ainda com aspecto de ser "cristã evengélica".

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA