Terça-Feira, 08 de Agosto de 2017, 07h:50

Tamanho do texto A - A+

Guilherme Maluf desconhece pagamento de "mensalinho" durante gestão Silval Barbosa

Por: FELIPE LEONEL

O deputado estadual e 1º secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Guilherme Maluf (PSDB), afirmou que desconhece o pagamento de "mensalinho" pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB), aos deputados estaduais, para que apoiassem o seu governo. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

guilherme maluf

 Deputado Guilherme Maluf

"Eu desconheço isso, eu não acredito, talvez tenha alguns acordos políticos, que é diferente de mensalinho. Acordo politico é favorecimento em cargos, em emendas parlamentares, mas mensalinho não", afirmou Maluf, durante a 8º Caravana da Transformação, realizada em Barra do Garças (508 km de Cuiabá).

 

Segundo o parlamentar, o ex-governador não frequentava muito a Casa de Leis, mas que tinha um parceiro muito forte lá dentro, o ex-presidente da ALMT José Geraldo Riva. Riva esteve preso por quase um ano e atualmente está colaborando com a Justiça de Mato Grosso, no âmbito das Operações Imperador, Arca de Noé e Ventríloco. 

 

O tucano defendeu também uma "hamornização" das delações premiadas. Na avaliação de Maluf, muitas das delações estão sendo "forçadas", "mal negociadas" e até mesmo "falseadas", para que os colaboradores recebam benefícios. 

 

"As pessoas têm falado muito para se salvar, jogando responsabilidades sobre os outros... Vamos ver as provas que ele [Silval] tem para apresentar contra os deputados", cravou o Guilherme Maluf. 

 

"Eu acho que o Poder Judiciário vai entrar numa fase de discussão dessas delações. Até a Polícia Federal agora tambem está entrando na discussão junto com o Judiciário e com isso deve acontecer uma hamornização", finalizou o deputado.

 

A delaçao de Silval

A informação de que o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) firmou acordo de delação premiada junto ao Ministério Público Federal (MPF) foi divulgada pelo jornal Folha de São Paulo. Segundo a reportagem, Silval teria filmado deputados estaduais recebendo malas com até R$ 80 mil. 

 

O acordo ainda não foi homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), mas segundo o ministro Luiz Fux, responsavel pelo acordo, o teor das declarações de Silval são "monstruosas" e que fica atrás apenas da Operação Lava Jato.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto