Terça-Feira, 31 de Julho de 2018, 10h:41

Tamanho do texto A - A+

“Governo só ataca e xinga, mas não refuta dados de Mendes”

Por: REDAÇÃO

O presidente do PDT em Mato Grosso, deputado Zeca Viana, criticou a declaração dada pelo secretário chefe da Casa Civil, Ciro Rodolpho, que classificou o pré-candidato do grupo ao Governo do Estado, Mauro Mendes, como “desonesto”.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

zeca viana

 Zeca Viana (PDT) afirma que o Estado está quebrado

O ataque de Ciro ocorreu após Mauro Mendes afirmar que o déficit do Estado na gestão Pedro Taques (PSDB) subiu de R$ 912 milhões, em 2015, para R$ 3,6 bilhões no balancete de janeiro a junho deste ano.

 

Para demonstrar o déficit, Mendes apresentou uma planilha oficial da própria Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), que comprova o rombo nas contas públicas. “Não sabemos quem mente mais, se o governador Pedro Taques ou os dados da Sefaz”, lembra o deputado Zeca Viana.

 

Já Ciro, sem mostrar qualquer dado, disse em um programa de televisão que o déficit não passa de R$ 500 milhões e que o pré-candidato mente e não conhece nada do Estado.

 

“Contra fatos não há argumentos. Contra dados não há argumentos. Seguindo o exemplo do governador, o secretário agora também passa a fazer ataques, xingar os adversários, baixar o nível da discussão. Deveria se preocupar em apresentar à população dados que comprovem que o Estado não está quebrado. Como sabe que o rombo é verdadeiro, tenta desviar o foco com conversa fiada”, criticou.

 

Reprodução

Planilha deficit MT

 Planilha da Sefaz apresentada por Viana

Zeca Viana mencionou que, no dia 6 de fevereiro deste ano, o próprio governador e o secretário de Fazenda, Rogério Gallo, afirmaram que o rombo no Estado já superava os R$ 3 bilhões. 

 

As declarações foram dadas em audiência pública na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, quando o governador Pedro Taques apresentou a proposta para a criação do Fundo de Estabilização Fiscal. Na ocasião, tanto Taques quanto Gallo confirmaram para todos os deputados e representantes do Ministério Público e Tribunal de Contas, a existência do déficit bilionário.

 

“O governador disse recentemente que não acredita em mágica. Mas que mágica ele fez para dizer que diminuiu o rombo do Estado em R$ 2,5 bilhões em pouco mais de quatro meses? Porque não fez a mesma mágica para pagar os R$ 700 milhões que deve aos Poderes, os R$ 12 milhões que deve à Defensoria, os R$ 18 milhões que não passou para o Novo Pronto-Socorro de Cuiabá, e as outras centenas de milhões que deve para a Saúde e para os fornecedores do Estado?”, questionou o deputado.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




1 Comentários

Júlio - 31/07/2018

A família Taques usou os grampos ilegais mesmo antes de assumir o poder para tirar o Silval Barbosa do poder e desmoraliza-lo para assumir o controle do mesmo grupo político. A manobra de tomar o PSD, partido do Riva demonstra claramente isso. Quando assumiu o governo usou os grampos para se antecipar a possíveis investigações, tanto é que o Tribunal de Justiça, o Ministério Público, jornalistas, membros do Tribunal de Contas e deputados foram grampeados. Paralelamente criou um esquema sistemático de corrupção com diversas frentes, destinação de verbas da Cultura (20 milhões sob investigação), licitações da Seduc (56 milhões desviados segundo dados levantados pelo Ministério Público), superfaturamento de pontes através de Regime Diferenciado de Contratação em torno de 40 milhões), tentativa frustrada de firmar um contrato com a mesma empresa ré de corrupção na obra do VLT para a conclusão com superfaturamento de DUZENTOS MILHÕES, que só não se consolidou por causa da intervenção do Ministério Público.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA