Segunda-Feira, 09 de Julho de 2018, 18h:03

Tamanho do texto A - A+

Ex-diretor do CCC é nomeado assessor parlamentar de Gilmar Fabris

Por: LUIS VINICIUS

O deputado estadual Gilmar Fabris (PSB) nomeou o ex-diretor do Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), Jean Carlos Gonçalves, para o cargo de assessor parlamentar, em seu gabinete na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). A nomeação não chamaria atenção, a não ser pelo fato de Gonçalves ter sido administrador da unidade prisional na época em que o parlamentar ficou preso por 40 dias.

 

Alan Cosme/hiperNoticias

gilmar fabris

 

Fabris foi preso no dia 15 de setembro de 2017, acusado de obstrução à Justiça, durante a Operação Malebolge, deflagrada pela Polícia Federal, por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele foi citado na delação do ex-governador Silval Barbosa (sem partido) e aparece em um vídeo reclamando do valor de uma suposta propina.

 

A soltura do deputado foi votada e aprovada na sessão da AL. Dos 19 parlamentares presentesforam favoráveis à liberação do colega. O documento usado como alvará de soltura é assinado pela mesa diretora da Casa de Leis. O parlamentar ficou preso até o dia 15 de outubro.

 

Passados 123 dias da soltura de Fabris, Gonçalves foi exonerado do cargo de diretor da unidade prisional a seu pedido. A informação consta no Diário Oficial do Estado (DOE),  foi publicada no dia 19 de abril deste ano. Após a saída da direção, Gonçalves foi empossado no gabinete do secretário adjunto de Administração Sistêmica.

 

Reprodução

jean carlos.jpg

 Nomeação de Jean Carlos Gonçalves no gabinete de Gilmar Fabris (PSB)

De acordo com o Portal Transparência da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Jean Carlos Gonçalves foi nomeado como assessor parlamentar do gabinete de Gilmar Fabris no mês de junho de 2018.

 

Vale lembrar que aprovados em concurso público realizado pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) para os cargos de agente prisional ainda não foram empossados. O certame foi realizado em fevereiro de 2017. A falta de agentes suficientes para atuar no sistema prisional do Estado é reclamação constante da categoria. A classe reclama das precarias condições de trabalho pela falta de pessoal. 

 

 

Outro lado

 

A assessoria de imprensa do deputado estadual Gilmar Fabris confirmou o fato e  disse que não há ilegalidade na nomeação do servidor.

 

Credito: Reprodução
Avalie esta matéria: Gostei +4 | Não gostei - 18



7 Comentários

Justiceiro - 11/07/2018

É so ve o Mauro Savi e os pupilos do governo. Lamentavel....

Antunes neto - 11/07/2018

O que me admira mais ainda e a categoria aceitar numa boa um agente ir assessorar um deputado que desrespeitou todos os servidores públicos do estado mostrou dedo e chingou a todos uma vergonha mais vergonha e do próprio agente não ter vergonha na cara mas como ele sabe que é odiado por todos pois foi só dar um carguinho pra ele que ele pisou e humilhou muita gente mas agora está com quem é igual a ele não estão ambos nem aí pra categoria. Talvez seja bom sair mesmo do nosso meio o que precisamos é de pessoas com competência com compromisso e com humildade coisas que ele nem sonha o que é , lastimável isso mas a escolha foi sua senhor ex superintendente graças a Deus que fique por lá só não jogue areia na categoria senhor cria do presidente João Batista que também usou a categoria para se promover a deputado mas Deus fará justiça.

Agepen sindicato - 10/07/2018

Esse aí não era o truta do JB????? E agora tá explicado porque o JB fazia tudo por ele e alegava fulano só quer ficar na moita fulano quer sombra e água fresca aí Jb seu pupilo de que lado está do lado de quem mostrou dedo para o servidores que nos chamou de vagabundos e nisso inclui você eu e o próprio Jean mas alguém aí não tem brio mas quando tem dindim no meio quem que quer saber de bril , em breve vamos ver o que vai acontecer pois uma hora cai e tem outro né no gabinete do Maluf né que já deu rolo mas o secretário parece que não está nem aí deixa rolar e aguardar pra ver no que dá essa imoralidade

Eroisa de Mello Schaustz - 10/07/2018

Sao 2800 agentes penitenciários concursados, mas nao tem 10p0 na função, devido apadrinhamento políticos, estão em áreas administrativas, pode chamar os candidatos concursados que a deficiência continuará. Sou à favor da integração das polícias também (MILITAR, Civil e penitenciaria). Por brigas de interesses pessoais e atribuições iguais, só muda os agentes públicos.

Agente perseguido - 09/07/2018

Só eu sei o que passei na mão desse cara tomara que fique na assembleia e nunca mais volte só me ferrou .

ACRESOVI - 09/07/2018

Lamentável ver membros de uma categoria tão sofrida usando os cargos PÚBLICOS que ocupam para beneficiar à SI PRÓPRIOS. Acho que esse é o maior problema dessa categoria, pois todo AGEPEN que ocupa um cargo no SISTEMA só pensa em si próprio, USURPANDO o verdadeiro sentido de estar lá. CLASSE MALDITA

Carlos andre - 09/07/2018

Será que teve regalias lá na pousada de férias ? Será que o Savi também recebe tudo na bandeija ????

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA