Quinta-Feira, 05 de Abril de 2018, 15h:05

Tamanho do texto A - A+

A pedido de Dorner, deputados permanecem no PSD

Por: FELIPE LEONEL/MAX AGUIAR

O deputado estadual Gilmar Fabris, líder do PSD na Assembleia Legislativa, descartou a saída dos deputados da agremiação. De acordo com Fabris, o pré-candidato a deputado federal pelo partido, Roberto Dorner, pediu a permanência dos quatro deputados do PSD para ajudá-lo a se eleger à Câmara Federal. Além disso, vários prefeitos também teriam solicitando a permanência deles na sigla. 

 

Felipe Leonel - HiperNotícias

psd

 

Na manhã desta quinta-feira (5), o vice-governador Carlos Fávaro, presidente estadual do PSD, entregou uma carta de renúncia ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho (DEM). A renúncia seria para Fávaro viabilizar sua candidatura ao Senado Federal. Seus correligionários, entretanto, também apontam o receio de se tornar inelegível caso o governador Pedro Taques saia do País e ele se torne governador interino.

 

À imprensa, os deputados Gilmar Fabris, Pedro Satélite, Nininho e Wagner Ramos, disseram não ter nenhum tipo de problema com Fávaro, inclusive vão ajudar no projeto, porém irão continuar na base de sustentação do governador Pedro Taques e não vão deixar a sigla. 

 

"Nós estivemos com o Fávaro ontem, conversamos, temos um bom relacionamento, não existe briga. Temos também um grande líder, que o empresário Roberto Dorner, candidato a deputado federal, e ligamos pra ele para saber o que fazer. Ele pediu pra gente ficar no partido e apoiar o projeto dele. Também decidimos que vamos continuar apoiando o atual governo e também vamos continuar construindo o projeto de reeleição dele. Automaticamente, dentro do partido, quem quiser construir outra candidatura, poderá construir. Nós temos 20 prefeitos marchando conosco", disse o deputado Gilmar Fabris. 

 

Apesar do desligamento de Fávaro do Palácio Paiaguás, Fabris disse que o PSD abre todas as possibilidade de candidatura para seus membros. Mas, eos quatro deputados não irão modificar de legenda e nem vão se afastar de Taques. "A relação com Fávaro continua boa. Partido não se faz com uma pessoa. Partido é formado pela militância. Não temos cacique. Lá ninguém fala em nome do partido e nem presidente falando em nome de todos. Se o partido tiver independência, nós vamos apoiar. O que estamos preocupado é estar num chapão amanhã. Por enquanto temos um candidato a federal, apenas o senhor Dorner. Nós também vamos ajudar ele (Fávaro) no projeto dele. Mas sair, não iremos", comentou Fabris em nome dos quatro parlamentares do PSD. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto