Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018, 16h:22

Tamanho do texto A - A+

Polícia apreende anotações com o nome de filho de João Arcanjo em pontos de jogo do bicho

Por: LUIS VINICIUS

A Polícia Civil informou que, dentre os objetos apreendidos pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), em um dos pontos da central do jogo do bicho em Cuiabá, foi encontrado um papel de anotações com o nome do filho do ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro.

 

Polícia Civil

jogo do bicho.jpg

 

A ação foi realizada na terça-feira (10) e os policiais encontraram três pontos de comércio do jogo de azar. Quatro pessoas, suspeitas de serem membros organização, foram presas e 50 máquinas usadas nas apostas, assim como aparelhos de cartões de crédito foram apreendidas.

 

Além dos  equipamentos, nos pontos dos jogos foram encontrados envelopes, documentos, cheques e anotações. Em um dos papeis estava o nome do filho do ex-bicheiro, João Arcanjo Ribeiro Filho. A assessoria de imprensa da Polícia Civil negou que o nome de Arcanjo esteja nos papeis encontrados pelos agentes.

 

“A Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) informa que não há nada que vincule o local com a pessoa de João Arcanjo Ribeiro. Foi encontrado apenas um papel solto, com o nome do filho de João Arcanjo, sem qualquer envolvimento. Isso será objeto de análise caso surjam novas informações”, diz trecho da nota da Polícia Civil.

 

Após as prisões, os suspeitos disseram que as máquinas encontradas em um dos pontos de jogos pertenciam a um homem que trabalhava para empresa Colibri. A marca Colibri, pertencia ao ex-bicheiro e ficou conhecida nos anos 90 com o jogo do bicho.

 

A esquema segue sob investigação da Polícia Civil.

 

O caso

 

De acordo com informações da Polícia Civil, os agentes receberam uma denúncia de que em uma residência de Cuiabá havia um esquema de clonagem de cartões.

 

Quando os policiais foram ao endereço, descobriram que se tratava de um ponto do jogo do bicho. Além deste, os agentes constaram que havia outros dois pontos de jogatina.

 

Nos três locais, foram apreendidas 50 máquinas usadas nas apostas, além de vários materiais de anotações. As quatro pessoas responsáveis pelos pontos de jogos foram presas.

 

O grupo detido foi encaminhado a GCCO para prestar depoimento ao delegado responsável pela prisão. Os acusados deverão responder a termo circunstanciado de ocorrência de contravenção penal do jogo do bicho. 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei