Quinta-Feira, 09 de Agosto de 2018, 17h:39

Tamanho do texto A - A+

Divulgado como morto pela polícia vai ao fórum comprovar que está vivo e pedir correção

Por: JULIANA ALVES - ESPECIAL PARA O HIPERNOTÍCIAS

Considerado morto em um confronto policial, a cerca de 30 km de Juara, José Bonifácio Nascimento de Barros, 34 anos, compareceu nesta quinta-feira (9) ao Fórum de Cuiabá para informar que não faleceu e que estava trabalhando na Capital. A Polícia Militar, que havia divulgado os nomes, informou por meio de nota que o equivoco ocorreu porque a identidade foi obtida por meio de docuementos que estavam com os suspeitos.

 

O rapaz foi citado como um dos acusados de assalto ao Banco do Brasil, em Brasnorte. O caso aconteceu na última quarta-feira (8) e dois homens morreram durante perseguição e confronto com policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Os suspeitos foram socorridos, porém não resistiram aos ferimentos.

Reprodução

josé bonifacio

 

 José Bonifácio e seu advogado, Marcelo Felício Garcia, compareceram ao Fórum para prestar esclarecimentos, pois ele cumpre pena em regime semiaberto e temia ser preso, novamente, pela acusação de envolvimento no delito ou ter o documento cancelado por conta do suposto óbito.  

 

José cumpre pena há cinco anos por assalto a banco e deve comparecer mensalmente ao juízo para comprovar as atividades. Na ocasião das mortes dos foragidos da cidade de Brasnorte, o homem estava em Cuiabá trabalhando.

 

Um dos requerimentos da defesa é para que a autoridade policial e o Comando Geral de Brasnorte de Juara esclareça os fatos e explique o suposto envolvimento de José Bonifácio aos crimes citados.

 

O juiz Geraldo Fidelis, da Vara de Execuções Penais, acolheu a solicitação da defesa e as autoridades policiais civil e militar da Comarca de Brasnorte devem informar sobre os fatos e também para que dessa forma seja identificada a pessoa que faleceu que equivocadamente foi divulgada como como José Bonifácio Nascimento de Barros.

 

Confira nota

Kelton Richer da Silva Freitas, 28, e Cleyton Lins, 29, são as verdadeiras identidades dos dois suspeitos mortos na manhã de ontem (08) em uma área de mata no distrito de Catai, a cerca de 30 km de Juara, em confronto com policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

 

Os nomes divulgadores anteriormente surgiram a partir de documentos encontrados com os suspeitos. Inclusive há um terceiro nome, constando em carteira de identificado, que a PM não chegou a divulgar.

 

Com essas informações a PM esclarece o episódio no qual surgiram os nomes de José Bonifácio Nascimento de Barros, 34 anos, e Roney Matos de Oliveira, 22 anos, como sendo os mortos na troca de tiros.

 

Kelton e Cleyton são apontados como os dois homens que horas antes do confronto invadiram uma fazenda próxima de Juara, onde renderam uma família de três pessoas, casal e uma filha adolescente, e roubaram uma caminhonete, celulares, comida, roupas e cobertores. 

 

Logo depois, quando a caminhonete ficou sem combustível, tentaram roubar uma motocicleta para prosseguirem na fuga. As partir dessas informações coorreu o confronto com os policiais do Bope que estavam na região reforçando as buscas aos assaltantes. 

 

A dupla é apontada como integrante do bando que tentou roubar a agência do banco do Brasil de Brasnorte na madrugada última segunda-feira(06.08). 

 

Outros suspeitos

 

Na segunda-feira, mesmo dia do roubo ao banco, policiais militares prenderam seis suspeitos: Janderson Jales da Silva, 23 anos, Eriely Cristina dos Santos Assis, 24, Weberton Bruno Mendes Soares, 31, Thiago da Silva Pacheco, 19, Alexandre Martins Oliveira, 23, e Pedro Rodrigues de Oliveira, também de 23 anos. Com eles, foram apreendidos mais de R$ 14 mil reais e 50 cheques, um deles no valor de R$ 30 mil, armas e munições.

Avalie esta matéria: Gostei +5 | Não gostei - 2