Segunda-Feira, 11 de Fevereiro de 2019, 15h:52

Tamanho do texto A - A+

Dinheiro encontrado em carro de empresário era do caixa de choperia de bairro nobre

Por: LUIS VINICIUS

Investigações da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) apontam que o dinheiro encontrado próximo ao corpo do empresário Wagner Florêncio Pimentel, 47 anos, seria do fechamento do caixa de uma choperia localizada no bairro Jardim das Américas, em Cuiabá. A vítima foi assassinada, na noite de sábado (9), na Avenida Brasília, no mesmo bairro.  

 

Reprodução

wagner.jpg

 

Conforme informações, com o dinheiro, que estava na sacola, foram localizados vários comprovantes de pagamento de cartões de crédito em nome dessa choperia. O que chamou atenção dos agentes é que alguns dos recibos eram do mês de dezembro.

 

Diante disso, os policiais investigam se Wagner foi vítima de uma emboscada. Outra hipótese levantada pelos agentes é se a morte do empresário tem relação com a ‘Operação Crédito Podre’, deflagrada pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), na qual a vítima é investigada com outras oito pessoas. A ação foi deflagrada no dia 8 de maio de 2018.

 

Ele era apontado como um dos líderes de um esquema de sonegação, que desviou R$ 140 milhões do Imposto sob Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS).

 

No dia 9 de julho, o juiz da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, Jurandir Florêncio de Castilho Júnior, intimou Wagner e outras quatro investigados para colocação de tornozeleira eletrônica.

 

No dia do crime, Wagner estava em um veículo Renault Sandero, quando foi surpreendido por dois criminosos em uma motocicleta. Os assassinos atiraram por três vezes na direção da vítima. O empresário não resistiu e morreu ainda no local. Já a dupla fugiu sem levar nada, fato que caracteriza crime de execução.

 

Depois do homicídio, a delegada Jannira Laranjeira da DHPP foi até o local para dar início a investigação. A autoridade policial solicitou imagens do circuito interno de segurança de vizinhos, para verificar como foi a execução. Até a tarde desta segunda-feira (11), nenhum dos criminosos havia sido preso.

 

O caso continua sendo investigado pela Polícia Civil.

 

 

Leia mais

 

 

Homem assassinado em bairro nobre era apontado como líder de esquema que sonegou R$ 140 milhões

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei