Segunda-Feira, 14 de Maio de 2018, 11h:35

Tamanho do texto A - A+

Ministério Público quer nome de mais dois envolvidos em morte de personal trainer

Por: MAX AGUIAR

O Promotor de Justiça Kledson Dionysio de Oliveira recomenda que a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investigue mais duas pessoas que tiveram participação na morte do personal trainer Danilo Campos, em novembro de 2017, no bairro Jardim Cuiabá.



danilo montagem

 Morte de personal acontecem em novembro de 2017

Segundo o documento, ainda não foram identificados quem pilotava a moto usada no crime e a pessoa que marcou o encontro com a vítima no local da execução. 



Apenas Guilherme Dias Miranda, vulgo Nego D'Água, e Wallison Magno de Almeida Santana, vulgo Parabólica, foram identificados como os participantes na morte do personal. Guilherme teria planjeado o crime e chamado Wallison para executá-lo. O caso chamou atenção por que ocorreu em via pública, motivado por ciúmes, após Guilherme descobrir que sua esposa,  Ane Lise Hovoruski, mantinha relacioaameato amoroso extracoajugnal com a vítima Danilo Nascimeato de Souza Campos, o qual era instrutor em uma academia (Smart Fit Goiabeiras) que Ane Lise frequeatava.



O promotor orienta que "a Delegacia Especializada de Homicídios e Proteçso à Pessoa confira continuidade às ivestigações policiais, aprofundando os trabalhos necessários à identificação dos demais agentes criminosos envolvidos ao ilícito, especialmeate aquele responsável pela condução da motocicleta que levou o atirador Wallison Magno de Almeida Santana, bem como o agente que, dissimuladamente, manteve contato telefônico com a vítima para o fim de induzi-lo a se encaminhar ao local da execução".



Luis Vinicius - HiperNotícias

Guilherme e e Danilo

Guilherme e Wallison são os únicos identificados

O crime



Testemunhas relataram que 2 homens em uma motocicleta se aproximaram do carro da vítima perto de uma conveniência, na Rua General Ramiro de Noronha, no Bairro Duque de Caxias e mataram o personal a tiros.


Segundo as investigações da Polícia Civil, o crime teve motivação passional. De acordo com a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Guilherme teria ordenado a morte de Danilo por ciúme de sua então esposa, Ane Lise Hovoruski que estaria tendo um caso amoroso com o personal.


Após o crime, Guilherme e Wallison ficaram foragidos por mais de três meses, até serem capturados em São Paulo, onde alugavam uma casa com nome falso e já tinham comprado passagem para viajar ao exterior. 

 

O caso continua sob investigação sob o comando da delegada Alana Cardoso. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei