Sexta-Feira, 03 de Agosto de 2018, 15h:58

Tamanho do texto A - A+

Emanuel Pinheiro teria recebido R$ 91,7 mil por meio de “notas frias”

Por: ANA FLÁVIA CORRÊA

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) teria recebido o total de R$ 91,7 mil por meio de notas fiscais falsas em seu mandato de deputado estadual. Ele é um dos alvos da Operação Déjá vu,  deflagrada nesta quinta-feira (2) para investigar o pagamento de verba indenizatória indevida na Assembleia Legislativa entre 2012 e 2015. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

emanuel pinheiro

 

Além de Pinheiro, são investigados os o presidente da Assembleia, Eduardo Botelho, os deputados Ondanir Bortolini – Nininho, Zeca Viana e Wancley Charles Rodrigues de Carvalho e também o ex-deputado José Riva.

 

A denúncia, assinada pelos promotores Antonio Sergio Piedade, Marcos Bulhões, César Danilo de Noaves e Rodrigo de Araújo Arruda, do Ministério Público Estadual (MPE), é do dia 28 de julho.

 

De acordo com o MPE, o esquema funcionava por meio da simulação da aquisição de materiais de papelaria e insumos de informática. As notas eram emitidas em nome de empresas de fachada e os deputados recebiam o dinheiro em forma de verba indenizatória. O total desviado da Assembleia seria de aproximadamente R$ 600 mil na época, sem correção monetária. 

 

No caso de Emanuel Pinheiro, a primeira nota fiscal é datada de fevereiro de 2014, enquanto a última é de fevereiro de 2015. Os R$ 91,7 mil foram divididos em treze notas de valores entre R$ 5 mil e R$ 7,8 mil. 

 

Confira trecho do documento que expõe algumas das notas:

Divulgação

Notas Frias Emanuel

 

 

Leia também 

Investigações apontam desvio de mais de meio milhão na AL por meio de notas frias

 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1