Segunda-Feira, 30 de Janeiro de 2012, 09h:12

Tamanho do texto A - A+

Advogado baleado na cabeça em Várzea Grande morre no Pronto-Socorro de Cuiabá

Em princípio, a PM informou que o jovem não estava em risco, mas na madrugada desta segunda-feira ele não resistiu ao ferimento e faleceu; polícia ainda não pistas do autor do atentado

Por: DA REDAÇÃO

Álbum de Família

O advogado criminalista Diego Padilha de Oliveira Souza, 29 anos, não resistiu ao ferimento de bala na cabeça e morreu na madrugada desta segunda-feira (30), no Pronto-Socorro de Cuiabá, onde estava internado desde às 22h de domingo (29).

Diego foi atingido por tiro disparado por um rapaz por volta das 21h15 no bairro Nova Esperança, em Várzea Grande. O advogado ajudava a mãe na montagem de equipamentos de uma lanchonete, no bairro Nova Esperança. Um jovem chegou a pé e atirou.

Na noite de domingo, o HiperNoticias obteve informações da tenente Vanessa Pires, que estava no comando do 4º Batalhão de Várzea Grande. Ela havia informado que o advogado havia sido baleado com tiro de raspão e que a vítima não estava em estado grave.

Nesta madrugada, Diego teve complicações e morreu. A assessoria de imprensa do Pronto-Socorro de Cuiabá ainda não se pronunciou a respeito do que ocorreu no procedimento cirúrgico e o que levou o advogado à morte.

As investigações serão conduzidas por policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Até o momento não há qualquer pista sobre quem atirou e nem o motivo do crime. Recentemente, segundo a família, o advogado fez cobrança de honorários. Porém, familiares não informaram quem seria a pessoa que devia ao jovem.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MT), Claudio Stábile, disse que a Comissão das Prerrogativas vai acompanhar as investigações policiais.

POLÍCIA SEM PISTAS

O delegado que vai investigar o assassinato do advogado, André Renato Gonçalves, apontou por meio de assessoria, que ainda não definiu uma linha de investigação sobre a morte, mas confirmou que equipe já foi até o local do crime para levantar as primeiras informações. “Por enquanto não é possível saber o que motivou o assassinato do advogado, o delegado está no início da investigações”, declarou a assessoria da PJC.

Ainda no início da manhã desta segunda-feira (30), o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional de Mato Grosso, Cláudio Stábile, disse que o órgão vai acompanhar as investigações. “Ainda é prematuro para dar qualquer informação. Mas vou pedir para a secretaria de Justiça um apoio, precisa ser apontado as causas da morte do advogado, se foi a prática de um assalto ou mesmo questões profissionais. A OAB começa hoje levantar os fatos”, argumentou Stábile.

Atualizada às 11:40

Credito: Álbum de Família
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto