Terça-Feira, 15 de Maio de 2018, 08h:23

Tamanho do texto A - A+

Quando a ideia não vem

Por: MIRELLA CARVALHO

Mirella Carvalho

 

E quando você quer escrever,
mas as palavras lhe fogem. 
Uma a uma, escorrem pelas linhas,
escapam da memória, como se nunca tivessem passado por ali.

 

Ah, mania essa de querer engaiolar ideia.
Ideia é igual passarinho:
é bicho solto.
Quando você acha que prendeu, aí, sim, é que ela fica livre.

 

Quem escreve tem dessas.
Quer colocar no papel aquilo que imagina.
Quer aprisionar numa folha tudo aquilo pensou.
Acha que na cabeça as coisas se perdem.

 

Ô, moça, não se perdem, não.
Aquilo que o coração sonha tá pra sempre gravado.
Não tem papel nem tinta que faça ser imortal.

 

A gente finge que captura uma ou outra.
Inventa que amarrou uma aqui e outra acolá.
Mas as melhores, aquelas com as quais o coração se encanta,
ficam só pra ele, guardadinhas, escondidas.

 

Por isso, tenho pra mim, que todo escritor tem um diário.
Mas não um diário daqueles escritos.
Falo de um espaço secreto no coração.
Um lugar especial, onde guarda as melhores lembranças.
Mas todas soltas.
Igual passarinho.

 


*Mirella Carvalho é inclinada à dualidade: metade paulista, metade cuiabana; metade publicitária, metade administradora. É também sorridente por natureza, virginiana e colecionadora de todo quanto é tipo de coruja (exceto as de verdade).

Avalie esta matéria: Gostei +3 | Não gostei