Sexta-Feira, 14 de Setembro de 2018, 08h:18

Tamanho do texto A - A+

Grávida pede ajuda para operação de bebê com má formação no lado direito do coração

Por: KHAYO RIBEIRO

Gestante de seis meses pede ajuda para filha com condição rara, o bebê foi diagnosticado com má formação no lado direito do coração. Nádia Fares, 33 anos, precisa arrecadar R$ 50 mil para cirurgia de alto risco da menina. 

 

Reprodução

Bebê má formação

 

“O procedimento cirúrgico da Lara não está disponível em Cuiabá. Eu vou ter de ir para Curitiba para tentar fazer pelo plano de saúde”, comenta a mãe. 

 

Lara sofre de uma condição médica em que o lado direito de seu coração é menor do que o normal, podendo gerar complicações em sua saúde caso não seja feita nenhuma intervenção. 

 

Nádia conta que a filha deverá ser submetida à cirurgia de alto risco ainda em seu primeiro dia de vida. A menina será operada no mínimo três vezes em um intervalo de um ano e meio. 

 

Emocionada, a mãe conta: “Eu estou abalada, tem dias que não tenho forças para levantar da cama”. Ela, que já é mãe de um menino de 12 anos, conta que a situação está ainda mais complicada agora por não estar mais com o companheiro. 

 

“Eu estou vendendo pizzas, tortas e rifa de uma bolsa para arrecadar os R$ 50 mil. Até agora eu só consegui juntar 10% do valor”, conta Nádia. Ela relata que tenta manter a calma diante das adversidades, principalmente nessa reta final, faltando menos de três meses para o nascimento da criança. 

 

“Todas estas coisas têm um custo, vou ao médico quase todas as semanas. O valor que eu estou arrecadando é somente para a primeira cirurgia”, lamenta a mãe. Nádia conta que, apesar de trabalhar 13h por dia em um salão de beleza, ela não conseguiria arrecadar toda a quantia sozinha.

 

Vaquinha online

 

“Ainda estamos em choque com a notícia de que a nossa princesinha possui um problema grave no seu frágil coraçãozinho e, para lutar por sua saúde, ela precisará passar por várias cirurgias no momento do nascimento”, narra trecho da vaquinha online lançada por Nádia. 

 

No site Vakinha.com é possível fazer doações para a causa. A mãe visa arrecadar R$ 5 mil na internet, até o momento o valor da ajuda não chegou a R$ 1 mil.

 

Até lá...

 

Nádia conta que terá de ir para Curitiba um pouco antes do nascimento da filha, a fim de começar uma série de preparatórios para o parto e a complicada cirurgia.

 

Ela afirma, ainda, que depois da primeira intervenção cirúrgica, a filha deverá ficar entre 30 e 60 dias na Unidade de Tratamento Intensiva (UTI), para se recuperar da intervenção.

 

Aqueles que quiserem contribuir de alguma forma podem contatar Nádia pelo telefone (65) 99276-4415. 

 

“Está sendo uma prova tudo isso, mas eu já entreguei nas mãos de Deus. Eu sei que ele fará o melhor para minha filha”, conta a mãe emocionada. 

Avalie esta matéria: Gostei +4 | Não gostei - 1