Quinta-Feira, 05 de Abril de 2018, 15h:57

Tamanho do texto A - A+

Crise não existe: é preciso empreendedorismo

Empreender na crise ensina várias habilidades, entre elas liderança e resiliência

Por: PÉRSIO OLIVEIRA LANDIM

 

divulgação

persio oliveira landim

 

Não há receita patente para o sucesso, é preciso refletir: Onde estou? E onde eu quero ir? Em vez de copiar estratégias, faz muito mais sentido desenvolver suas próprias técnicas para atingir seus objetivos pessoais.

 

A propósito, isso não significa que você não deva ser inspirado pelos outros. É de fato possível integrar sugestões de outros em sua própria estratégia, sem escravizar-se a ela.

 

De acordo com uma start-up que propaga o empreendedorismo, 60% da população sonha em abrir uma empresa, segundo pesquisa do Instituto Endeavor.

 

Entre o sonho e a realidade, a distância não é tão grande assim. Em 2015, por exemplo, quase 40% dos brasileiros já eram empreendedores, conforme o levantamento Global Entrepreneurship Monitor, realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) com parceria do Sebrae, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Isso significa que, a cada dez brasileiros, dois almejam a carreira empresarial, mas não a tiram do papel.

 

Com a economia paralisada há tanto tempo, a inflação não cede, o consumo retrai e o emprego se vai. Já são mais de 13 milhões de desempregados no Brasil. Um novo recorde negativo quanto a esse quesito é registrado todo mês.

 

O que distingue os empreendedores de sucesso dos outros? Sua maneira de lidar com problemas insolúveis. Quem quer ter sucesso, não deve reclamar dessas adversidades.

 

O Sebrae apurou que ter um negócio próprio é o terceiro sonho mais comum entre os brasileiros, ficando atrás apenas da casa própria e de viajar.

 

Criatividade e abertura estão entre as qualidades mais importantes para ter sucesso como empreendedor. Você tem que ser capaz de encontrar soluções para mais e mais problemas. Isso só funciona se você conseguir fugir dos padrões convencionais de pensamento.

 

Há vários nichos de mercado ainda não explorados ou em franco crescimento, e mão de obra especializada disponível.

 

Empreender na crise ensina várias habilidades, entre elas liderança e resiliência. Você não aprende a ser líder na escola ou na faculdade.

 

"Eu sou velho demais / jovem demais para isso" - você nunca ouvirá essa frase de empreendedores de sucesso. A idade é apenas um número para eles. As pessoas bem sucedidas não deixam sua idade ditar quem são ou do que são capazes, em vez disso, eles deixam sua paixão guiá-las. Reclamar sobre sua idade custa apenas energia desnecessária.

 

Todo empreendedor deve ser maleável, flexível. Ele precisa entender que as coisas não vão dar sempre certo para ele, tampouco seu planejamento poderá ser mantido sem ajustes ao longo do caminho.

 

Quando você reúne confiança, coragem, inovação, liderança e resiliência, começa a moldar um verdadeiro perfil empreendedor. Nesse caso, a crise tende a ser facilmente vencida.

 

Se você fosse correr uma maratona, não iria se inscrever no dia anterior e chegar lá sem preparo algum, não é? Com o empreendedorismo, funciona da mesma forma.

 

É importante considerar que os empreendedores de sucesso não tornam sua satisfação dependente da opinião dos outros. Saiba que você nunca é tão bom ou tão mau quanto os outros dizem. Lamentar sobre o que os outros pensam sobre você, em última análise, leva a nada.

 

Você também deve ter cuidado para não ser negativo. Em vez de reclamar sobre como um projeto foi, é melhor pensar sobre o que você poderia ter feito melhor. O lema é: aprender com os erros.

 

O medo nada mais é do que um sentimento impulsionado pela sua própria imaginação. É preciso perceber a diferença entre o perigo real e o medo imaginado. Empresários de sucesso enfrentam seus medos e se tornam mais fortes.

 

*PÉRSIO OLIVEIRA LANDIM é advogado, especialista em Direito Agrário, especialista em Gestão do Agronegócio, presidente da 4ª Subseção da OAB – Diamantino (MT)

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei