Terça, 05 de novembro de 2013, 16h21

Tamanho do texto A- A+
A população e os profissionais de saúde pedem socorro!
Nossos hospitais, se é que posso falar assim “nossos”, estão deficientes de leitos. É comum se deparar com pacientes nos corredores em colchões, macas ou até mesmo no chão

ANTONIO AZAMBUJA






Divulgação

A dificuldade do acesso e a ineficácia da saúde pública me preocupam enquanto cidadão, médico, deputado e presidente da Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social da Assembleia Legislativa. Posso considerar a crise na saúde do nosso Estado sob três aspectos básicos: a deficiência na estrutura física; a falta de disponibilidade de material, equipamento, medicamentos; e a desmotivação dos servidores públicos da saúde.


As condições das estruturas físicas das Unidades de Saúde sob gestão do governo do Estado de Mato Grosso são lamentáveis, pois as mesmas se encontram sem manutenção preventiva ou corretiva, funcionando em prédios improvisados e inadequados, com instalações elétricas, sanitárias e hidráulicas precárias, colocando em risco a vida dos pacientes e servidores.

As péssimas condições de atendimentos à população estão ligadas diretamente ao Sistema Único de Saúde (SUS), retratada pela falta de equipamentos, insumos, exames laboratoriais e até mesmo de medicamentos básicos. Sem falar na dificuldade no acesso, na ineficácia dos serviços prestados, a super lotação, onde milhares de pessoas padecem nas filas de esperas, literalmente mendigando por uma simples consulta, exame ou uma cirurgia de média ou alta complexidade.

Nossos hospitais, se é que posso falar assim “nossos”, estão deficientes de leitos. É comum se deparar com pacientes nos corredores em colchões, macas ou até mesmo no chão. Essa situação fere não só a dignidade da população, mais também dos profissionais de saúde. Não sou eu quem disse que a saúde pública é direito de todos, e sim a constituição. Vamos relembrar? A Constituição Federal de 1988 põe a vida como o bem maior dos direitos fundamentais, preceituado em seu artigo 196 que a saúde é um direito de todos e um dever do ESTADO.

Pelo visto o nosso governo rasgou a constituição, por que a sociedade tem sido obrigada a aceitar a decadência da saúde pública em todo Mato Grosso e conseqüentemente o sucateamento do SUS. Pelo visto, nosso Estado entrou para o caos total, pacientes sofrem com o retardo nos diagnósticos de doenças, e, por conseguinte, uma piora em muitos prognósticos, que ocasionam em muitos casos a morte de pacientes antes mesmo do atendimento.

Sem falar que os profissionais da área da saúde são contratados com vínculo de trabalho precário, sem nenhuma valorização, em total afronta com a Constituição. Não esquecendo que a carência de médicos no SUS, se dá pela falta de concursos públicos.

Tentando tapar o sol com a peneira, o Governo Brasileiro, resolveu “jogar” a culpa do caos na saúde nos médicos. E na falsa tentativa de amenizar “resolver” o caos criado pelos médicos, anunciou a importação de profissionais médicos estrangeiros sem revalidação de diploma. Que país é esse??? Uma verdadeira afronta à Constituição. No artigo 5°, XIII que dispõe acerca das limitações para o exercício das profissões regulamentadas, cujas atividades para serem exercidas têm que obedecer à legislação específica de cada caso, o que implica aí na obrigatoriedade, além da formação acadêmica, do registro do diploma dos respectivos Conselho ou Órgão Fiscalizador da Profissão, seja em relação a exigência do seu artigo 37, II, no qual aduz sobre a aprovação prévia em concurso público para investidura em cargo ou emprego público.

Tal situação me faz acreditar que ao mesmo tempo em que o Governo Federal autoriza a importação de médicos diplomados no exterior, sem se preocupar com a sua qualificação através da revalidação do diploma, parece crer na falta de capacitação do médico brasileiro.

Senhoras e senhores o que posso afirmar com toda certeza é que o problema da saúde está longe de ser a carência de médicos. É muito fácil denegrir a imagem dos nossos médicos, limpando assim a “barra” de um governo que diz preocupado com a Saúde Pública.

De todas as unidades de saúde e hospitais que já percorri, observei que os médicos são profissionais esforçados, íntegros e qualificados, e ainda, são obrigados a trabalhar em estruturas precárias, improvisadas e na maioria dos casos oprimidos pelo sistema.

Em nome da população mato-grossense e dos servidores clamamos por socorro. Executivo, legislativo e governo federal, descruzem os braços e ajudem a ressuscitar a Saúde em Mato Grosso e no Brasil.



*ANTONIO AZAMBUJA  é doutor em medicina, pós-graduado em Saúde Pública e Pediatria, atualmente está no cargo de deputado estadual.



 
Transp
Avalie esta matéria:  
2 Comentário(s).
Nobre Deputado se a saude vai mal vc tambem é culpado. E uma pergunta vc é Dr e vc é medico? Pq existe uma diferença enorme entre uma coisa e outra. Pq dizer q vc é Dr e pos graduado é uma incoerencia enorme.
enviada por: Souza    Data: 06/11/2013 09:09:46
Também a prioridade número 1 do governo é Copa 2014; então, Saúde, Educação, Segurança; só resolvem depois da Copa e com novo presidente, governador, e renovação do Congresso Nacional e Assembléia Legislativa em pelo menos 70%. Hoje, no jornal do meio dia, o representante do sindicato da nossa gloriosa PF, deu uma pequena amostra de como está a nossa Segurança ou in(Segurança) - Salve-se quem puder. Para vigiar uma fronteira com mais de 800 Km tem só 45 guerreiros da PF; esses são uns heróis, pois a qualquer momento podem levar bala de um exército de traficantes. Quem assistiu a entrevista não teve dúvida, Segurança não é prioridade nacional. O representante disse que na campanha eleitoral, só num discurso, a Dilma mencionou a PF 38 vezes, dando a impressão que transformaria a PF numa espécie de FBI; e concluiu, se os americanos tivessem um FBI como é a nosso PF estariam perdidos. A PF não tem a estrutura adequada, faltam recursos humanos, financeiros; investimentos em tecnologias; e ainda queriam retirar o poder do MP e só deixar a PF tomar conta. Aí é que corruptos, traficantes, lavadores de dinheiro, e companhias estariam deitando e rolando. Qual foi o idiota que tornou o futebol a prioridade nacional? Por que não tornou a Saúde, a Segurança?
enviada por: Carlos Nunes    Data: 05/11/2013 17:05:35
Comente está matéria

Leia mais sobre este assunto:
»MPE pede reabertura de farmácia e afastamento de Lafetá
»Hospitais filantrópicos fecham as portas nesta quinta-feira
»Yuri Bastos mais dois são acusados de desviar R$ 3,3 milhões
»Fávaro cobra aplicação correta de recursos do Fethab
»Vereadores querem fiscalizar ponto de profissionais de saúde
»Coordenação
»O risco “ficha-suja”
»Lúdio pretende colocar servidores de MT em seus devidos lugares
»Ministério Público pede afastamento de secretário de Saúde
»Adeus, Nalzira
»Abutres da reputação alheia
»Projeto de reestruturação do MT Saúde some da Assembleia Legislativa
»Bola Cheia
»Cuiabá, Capital
»Praça devolvida, vitória cidadã
»Dia Internacional das Florestas, o outro dia da Árvore... e o Equinócio
»Herança
»Global Warming... E eu com isso?!
»Pacientes denunciam atraso e 'maquiagem' em obras do PSF
»AMB cria programa para estrangeiros 'insatisfeitos'

Confira também nesta seçao:





Mais lidas hoje Mais lidas semana passada
Copyright © 2013 - HiperNotícias - Todos os direitos reservados